Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

31.12.19

Feliz Ano Novo


imsilva

princupe-300x189.jpg

 

Feliz Ano Novo

Passagem de ano; Muita alegria, muita agitação, muita euforia, muita ansiedade, mas já repararam que é sempre em relação ao ano que aí vem? Mas e o ano que  acaba? Sim, esse que ficou gravado nas nossas vidas, marcado na nossa história, no nosso calendário biográfico, marcado com coisas boas ou más, marcas muito boas ou muito más, mas marcas que já fazem parte de nós e que para sempre recordaremos.

        Agora vamos debruçar-nos sobre o novo ano. Esse total desconhecido, inimaginável, ponto de interrogação nas nossas vidas. Vamos ter 365 dias (ou 366) para o descobrir e para o celebrar ou chorar, conforme decorrer.365 dias limpinhos em folha para ser pintados com bonitas cores (ou não). A realidade é que não sabemos, é a maior incógnita da nossa vida, mas teimamos em festejá-lo antecipadamente.

      Então, porque não despedirmo-nos com euforia do que se vai embora, do que já conhecemos, e recebermos o novo com recolhimento e já agora com planos para fazermos dele algo digno de se recordar?

                     Vamos tentar fazer um Feliz Ano Novo

 

29.12.19

Ainda "O meu conto de Natal"


imsilva

6d5b013087be04d3bf37ba8c647973e0.jpg

Aqui vai o meu agradecimento aos bloguers que se dispuseram a escrever um conto de Natal. Belos contos apareceram a retratar esta bela época. Adorei lê-los, tinham garra, tinham sentimento, tinham vontade. Dignos de ser lidos em qualquer colectânea que se venda por essas livrarias fora. Obrigada pela companhia na aventura, pode ser que um dia me surja outro desafio e sei que vos vou ter desse lado.

Beijinhos literários. 🥰

27.12.19

Reflexão aviária


imsilva

00095d200c981f60b664e976f192123b.jpg

Sobre "O desafio dos pássaros " já aqui deixei a minha reflexão quando íamos a meio da coisa, fazê-lo agora seria repetir-me . 

Só tenho de acrescentar que sou coagida a inscrever-me no 2° desafio, sob pena de morrer de inveja ou engasgado, quando os textos forem publicados e eu começar a magicar o que escreveria se me tivesse inscrito.

Por isso só posso reiterar a coação a que fui submetida, e que devo de estar tão maluca como os pássaros, para entrar outra vez nesse antro de maluqueira. 

Tenho dito!

E ainda nem acabou o 1°...🥺

 

25.12.19

Postal de Natal # 25


imsilva

f6d8f499112cc65c7a03595ec3693c03.jpg

 

E Jesus chegou...

Um muito feliz e santo Natal para todos os habitantes deste planeta (Os outros que se lixem, nem sabemos como são...) que todos tenham o que comer, um agasalho, e um brinquedo para todas as crianças do mundo. Não é pedir muito mas...mesmo assim não se concretiza. Mas, sonhar e escrever não custa...Boas festas!

23.12.19

Um conto de Natal


imsilva

554590a2cc6dae39c1ba96cdb89dfa68.jpg

 

José é um menino de 10 anos e vive em Moçambique. José e a sua família refugiaram-se nas montanhas, juntamente com milhares de outros moçambicanos, fugindo das inundações monstruosas que assolaram o país.

José vivia fora da grande cidade, e quando finalmente, puderam regressar à sua aldeia e ao seu lar, viram o que restava das suas casas, numa desolação total. Os escombros e as ruínas pesaram-lhes na alma, mas não havia mais nada a fazer, senão tentarem melhorar o pouco que havia, e ter esperança de que pouco a pouco, tudo voltaria ao normal.

José tem muita sorte, pois os seus pais e irmãos estão vivos, apesar de terem perdido outros membros da sua família.

Mas aproximava-se o Natal, e José que gostava tanto dessa época, perguntou um dia a sua mãe, como seria agora que tinham perdido tudo, como poderiam festejar a quadra no meio de tanta tristeza e com tanta falta de meios, mesmo para as coisas mais essenciais à sua sobrevivência.

A mãe ficou pensativa, e depois acabou por responder-lhe, que para festejar o nascimento de Jesus, não eram necessárias assim tantas coisas, que era muito mais simples do que isso, e pediu a José para ir arranjar barro, que era uma coisa nada difícil de encontrar naquelas condições. José com os olhos a brilhar, apressou-se a ir buscar o precioso material, que iria ajudá-los a viver o Natal.

Depois de a mãe ter explicado o que teriam que fazer, todos meteram mãos à obra, pois tratava-se de fazer um presépio.

José, pediu imediatamente para ser ele a fazer o menino Jesus, e com o seu bocadinho de barro nas mãos, com muito cuidado e ternura, começou a moldar um pequeno corpo, que começando a tomar forma toscamente, se foi transformando num pequeno mas muito amado menino Jesus.

Quando todos terminaram o seu trabalho, juntaram uns bocadinhos de madeira, e contruiram a cabana que serviria para acolher as figuras saídas de um simples bocado de barro.

José olhou para o presépio, e depois para a mãe. Os seus olhos brilharam como raios de luar, a sua boca formou o mais belo dos sorrisos e pensou que nunca tinha visto um presépio tão bonito.

Neste Natal, não vai haver prendas, bolos ou chocolates em casa de José, mas sim um amor enorme e muita fé no dia de amanhã, e creio que também a recordação de um Natal que apesar de tudo, é dos mais bonitos que alguma vez José viverá.

 

Que tenham o melhor Natal possível, que não vos falte companhia, amor e que a solidariedade esteja convosco! Um muito feliz Natal! 💝

 

Pág. 1/4