Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

Agosto 27, 2021

imsilva

20201230_080939.jpg

 

Quando o pensamento se esvai, e o cansaço impera

Quando a mente se nega a funcionar

A esperança faz a sua  aparição e nos canta uma canção de embalar.

Os dias estão magníficos!

Limpos e luminosos.  

É o Agosto a despedir-se, o verão a acabar.

Desde sempre que o Verão para mim foi sinónimo de trabalho. Desde os meus 13 anos que a época balnear foi de trabalho. Estudava de inverno, e trabalhava no Verão. 

Já casada e com 3 filhos, o meu marido trabalhava na restauração e eu numa loja, com dias diferentes de folga, quando chegava o mês de Maio era uma neura que me entrava e que eu não entendia. Depois percebi que era a época em que o meu marido passava a estar mais tempo fora de casa, em que os nossos horários se desencontravam completamente e isso mexia com o meu sistema nervoso.

Os meus últimos 2 anos de trabalho na loja, foram anos de crises de ansiedade e ataques de pânico. Foram 2 anos de ansiolíticos que foram resolvidos quando mudei de trabalho e passei a trabalhar com o meu marido.

Com os miúdos já crescidos e com a ajuda da minha mãe, essa mudança foi possível. Se assim não fosse, creio que o casamento não teria sobrevivido, cheguei a dizer ao meu marido " em Maio sais de casa e voltas em Outubro" Coitado, sofreu comigo, não fui fácil de aturar nessa altura.

Hoje pensei em sentar-me a escrever alguma coisa (tinha saudades) e saiu isto. Um desabafo da vida, uma vida como tantas outras com altos e baixos e contratempos que se vão resolvendo melhor ou pior, conforme as hipóteses que nos aparecem à frente.

Talvez, resumindo, não se pode desistir. Temos de ir à procura das soluções e mesmo parecendo que não estão lá, acreditar que é possível, que as vamos encontrar e seguir o caminho.

O Verão está a acabar, e eu vou voltar a uma vida mais normal, com tempo para escrever, ler, ver os meus netos mais vezes, passear e gozar de tempos livres.

Sejam felizes, assim ou assado, encontrem o caminho para lá, porque o sol nasce todos os dias!

Agosto 25, 2021

imsilva

FB_IMG_1624865553314.jpg

 

“Quando pronuncio a palavra Futuro,
a primeira sílaba já pertence ao passado.
Quando pronuncio a palavra Silêncio,
destruo-o.
Quando pronuncio a palavra Nada,
crio algo que não cabe no que ainda não existe.”

Wislawa Szymborska, in 𝘈𝘴 𝘵𝘳ê𝘴 𝘱𝘢𝘭𝘢𝘷𝘳𝘢𝘴 𝘮𝘢𝘪𝘴 𝘦𝘴𝘵𝘳𝘢𝘯𝘩𝘢𝘴 (Polónia, 1923-2012)
Imagem de Catrin Welz-Stein (Alemanha, 1972)

Agosto 23, 2021

imsilva

20201022_114423.jpg

Vida

Tudo dentro de quatro letras apenas

com sonoridade, agradável, com luz, com esperança

com o nascer e o morrer como protagonistas

Tudo é vida

o que gostas, o que não gostas

a que tens, a que gostarias de ter

o teu, o meu suspiro

a tua, a minha gargalhada

as vossas, as nossas lágrimas

As cores do arco-iris reflectidas por todo o lado

A mãe Natureza no comando a dar o seu melhor

e por vezes, o ser humano a dar o seu pior

Tudo isto é...  vida

 

Está é a minha participação no desafio "vida" da Célia do blog "raios de sol". Passem por lá e leiam os textos dos outros participantes, vale a pena.

Agosto 20, 2021

imsilva

 

Screenshot_20201229-103320_Facebook.jpg

 

Resta quanto tempo? Não sei. O relógio da vida não tem ponteiros.
Mas é preciso escolher. Porque o tempo foge. Não há tempo para tudo. Não poderei escutar todas as músicas que desejo, não poderei ler todos os livros que desejo, não poderei abraçar todas as pessoas que desejo. É necessário aprender a arte de “abrir mão” – a fim de nos dedicarmos àquilo que é essencial.

(Rubem Alves---)

 

 

 

 

 

Agosto 18, 2021

imsilva

20201105_103824.jpg

 

ROSA LOBATO DE FARIA, in A NOITE INTEIRA JÁ NÃO CHEGA - Poesia - 1983-2010 (Guimarães Editora, 2012)

Um dia virá
em que a minha porta
permanecerá fechada
em que não atenderei o telefone
em que não perguntarei
se querem comer alguma coisa
em que não recomendarei
que levem os casacos
porque a noite se adivinha fresca.

Só nos meus versos poderão encontrar
a minha promessa de amor eterno.

Não chorem; eu não morri
apenas me embriaguei
de luz e de silêncio.

*
Fotografia ©Elsa Estrela
*

(LT)

Agosto 13, 2021

imsilva

FB_IMG_1621153145936.jpg

As Meninas.


Arabela
abria a janela.
Carolina
erguia a cortina.
E Maria
olhava e sorria:
"Bom dia!"
Arabela
foi sempre a mais bela.
Carolina
a mais sábia menina.
E Maria
Apenas sorria:
"Bom dia!"
Pensaremos em cada menina
que vivia naquela janela;
uma que se chamava Arabela,
outra que se chamou Carolina.
Mas a nossa profunda saudade
é Maria, Maria, Maria,
que dizia com voz de amizade:
"Bom dia!"

(Cecília Meireles---)

Agosto 06, 2021

imsilva

 

20200214_144649.jpg

 

Ontem ouvi-te chorar, mas não me aproximei

esperei que parasses...mas não paravas

os soluços subiam de tom, assim como a minha aflição

ao ouvir-te chorar assim

Não chores, a vida já nos explicou que tudo se resolve

as angustias acabam por ir embora

é só dar-lhes um empurrão

é só demonstrar-lhes que não as queremos

que coisas melhores temos do que angustias assim

Temos o sol, a lua, as flores, toda a natureza só para ti

o amor daquela pessoa que tu nem imaginas, mas que está lá, à tua espera

Tantas coisas boas em que pensar, coisas boas para fazer

só tens de olhar e ver

 virar o rumo, e recusar as coisas que não são assim... 

Agosto 04, 2021

imsilva

FB_IMG_1626938535655.jpg

Há momentos e situações em que o olhar comunica mais que as palavras, isso também é intimidade. Creio que sou capaz de dizer muitas cosas sem falar, é o outro que também tem de compreender e de saber interpretar. Quando se estabelece essa relação de intimidade e de amizade, não é necessário falar. (...) Frequentemente é melhor não o fazer porque as palavras estão muito gastas.

António Lobo Antunes

Livro dos contos de natal do Blog

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Livro dos contos de natal 2 do Blog

Em destaque no SAPO Blogs
pub