Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

Agosto 30, 2023

imsilva

FB_IMG_1693297536788.jpg

"Dois burros velhos planeavam as bodas de prata. Já tinham passado metade das suas vidas juntos e partilhado muitas burrices.
A primeira burrice foi a do Hi-Hon: mal se conheceram, ainda jovens, zurraram "Hin-Hon" ao mesmo tempo e casaram imediatamente.
A segunda burrice repetia-se de cada vez que alguém os obrigava a atravessar uma estrada, e era esta a sua burrice preferida: a meio caminho, firmavam as patas e não havia força no mundo que os arredasse dali.
A última burrice dos dois foi a burrice da orelha de burro:
Na noite anterior às bodas de prata, sabendo que o burro era muito esquecido, a Burra fez-lhe uma pequena dobra na orelha direita.
E o que é que aconteceu?
O Burro ficou com a orelha tapada e, como já era surdo da orelha esquerda, continuou a dormir quando o galo cantou e dormiu até à noite, passando todo o dia de festa a ressonar.
Até que a Burra, exasperada, bufou furiosamente e pôs fim às bodas de prata. Pegou, então, nas suas patas teimosas e disse: "Vou-me embora!"
Afastaram-se a trote, de focinhos empinados, cada um decidido a encontrar um parceiro melhor.
A Burra foi para sul e o Burro...foi para sul também." (...)

Adelheto Dahimène e Heide Stöllinger. In, "Burros".

...faz chá de limão!

1 Foto, 1 Texto

Agosto 25, 2023

imsilva

20230825_102402.jpg

Limão de tamanho considerável

Quando a vida te dá um limão destes, o meu conselho é, não faças limonada (não tem sumo suficiente, casca muito grossa), faz chá de limão!

No seguimento desta reflexão profunda, tenho a dizer que muito chá de limão é preciso para acalmar, relaxar os sentidos, relativizar a vida e tentar levá-la com o menor prejuízo possível.

Vida, espera por mim

não andes tão depressa

não dás tempo para ver

sentir, olhar,cheirar

só sinto o teu roçar

o teu hálito a passar

num borrão indistinto

já ao longe

a caminho do infinito

 

Agosto 16, 2023

imsilva

228f6eb67cb7b838aeab5cb367647f83.jpg

Um dia perco a vergonha, e escrevo um livro de crónicas com as actitudes, arrogâncias e palavras dos (supostos) clientes que querem comer num restaurante, mas não têm modos nem educação para tal. 

Também posso escrever sobre as anedotas e parvoíces dos funcionários  novatos, quando entram ao serviço. Há coisas que lembraremos com um sorriso toda a vida.

Um outro livro daria os muitos amigos que se fazem, clientes que tratamos como família e com quem sofremos quando sabemos de algum percalço. São os que lembramos com carinho e saudade ao longo dos anos. Aí também incluiria os novos, os que nos conhecem por 1° vez, e fazem questão de agradecer e dizer que voltarão.

Há de tudo na vida da restauração, como na farmácia! 

 

 

Agosto 09, 2023

imsilva

FB_IMG_1691333164013.jpg

O filósofo alemão do século XIX, Friedrich Nietzsche, quis dizer nesta afirmação que há coisas que ele deliberadamente escolheu não conhecer ou não querer saber.

Ele acreditava que a sabedoria também envolve saber definir limites para o conhecimento, reconhecendo que nem tudo precisa ou deve ser conhecido.

Isto pode ser uma forma de preservar sua própria sanidade mental, evitar sobrecarregar-se com informações desnecessárias ou prejudiciais, ou mesmo manter a liberdade intelectual ao escolher suas áreas de interesse.

  -  Friedrich Wilhelm Nietzsche. " Crepúsculo dos Ídolos: Como se filosofa com o Martelo".

Algo que me ajuda a entender o porquê de não querer aprofundar tantos assuntos do nosso mundo e da vida. É só auto-preservação! Quando nada posso fazer por o que está fora do meu alcance, quando não existem provas e factos de conflitos externos à minha vida, quando tudo acontece fora do meu entendimento e notóriamente sinto-me enganada, simplesmente, não quero saber mais do que o necessário para não me sentir fora do planeta. O amigo Nietzsche ajudou-me a entender o cerne da questão.

Escuridão

1 Foto, 1 Texto

Agosto 04, 2023

imsilva

20220524_212312.jpg

Esperou a noite cair, e ao abrigo das sombras caminhou ao longo de ruas e caminhos calmos e silenciosos. Sem destino certo, sentiu-se livre, tranquila, como se tudo estivesse certo e no lugar certo. Estaria? 

Quando o céu já não era negro, um vulto foi descoberto à beira rio. Um corpo parecia dormir, em posição fetal. Parecia tranquilo, e quando olharam o rosto viram um sorriso preso numa face que já não respirava.

 

Nota: Quando desafiei, era para eu própria ter que escrever. No entanto, vejo-me a olhar par o ecrã à sexta-feira só com a foto escolhida. No meio de muita confusão, (esta semana tenho os meus netos cá em casa, fornecedores descarregam material na garagem, e tenho de ir para o trabalho) agarro teclas e letras e escrevo ao som de desenhos animados na tv. As palavras vão surgindo ao ritmo que querem, e vão saindo frases que não comando. O texto não é imagem de nada, só de escrita criativa.

 

 

Livro dos contos de natal do Blog

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Livro dos contos de natal 2 do Blog

Em destaque no SAPO Blogs
pub