Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

Setembro 27, 2023

imsilva

9eb1245b1c7dbbf50e344ae61b147834.jpg

Levo comigo os dois últimos bilhetes de comboio.
Levo comigo um guardanapo de papel com a minha cara que você desenhou, da minha boca sai um balãozinho com palavras, as palavras dizem coisas engraçadas.
Também levo comigo uma folha de acácia recolhida na rua, uma noite, quando caminhávamos separados pela multidão.
E outra folha, petrificada, branca, com um furinho como uma janela, e a janela estava fechada pela água e eu soprei e vi você e esse foi o dia em que a sorte começou.
Levo comigo o gosto do vinho na boca.
Não levo nem uma única gota de veneno. Levo os beijos de quando você partia (eu nunca estava dormindo, nunca).
E um assombro por tudo isso que nenhuma carta, nenhuma explicação, podem dizer a ninguém o que foi.
EDUARDO GALEANO
In: "Vagamundo"

 

Setembro 22, 2023

imsilva

20190213_092620_IMG_1491.JPG

Gosto do verde da natureza, das várias tonalidades nas diversas árvores e plantas.

Gosto dos tons castanhos do outono.

Gosto de estar sozinha, no silencio, com os meus pensamentos, sem obrigações ou deveres.

Gosto de sentir o conforto e o carinho de estar com os meus, e saber que está tudo bem.

Gosto de sorrisos e abraços sinceros.

Gosto de mim.

 

Desta vez, só uma foto diz tudo, despeço-me dos meus gostos através de fotografias. Outras fotos virão...

 

Setembro 20, 2023

imsilva

20221110_121834.jpg

 

VINHA DIZER ADEUS

Vinha dizer adeus, mas reparei
Que na faia do pátio era Setembro
Vinha dizer adeus, mas encontrei
Um livro na cadeira do alpendre

Vinha dizer adeus, mas as maçãs
Estavam no forno a assar e esse cheiro
Fez-me parar na porta das manhãs
A relembrar o nosso amor inteiro

Vinha dizer adeus, mas o teu cão
Veio lamber-me os dedos hesitantes
Vinha dizer adeus, mas vi no chão
A manta, ao pé do lume, como dantes

Vinha dizer adeus, mas senti fome
Ao ver a mesa posta para dois
Dálias e o guardanapo com o meu nome
Sem ter havido antes nem depois

Vinha dizer adeus, mas que surpresa
Apassionata... o último andamento
Como se tu tivesses a certeza
Que eu ia chegar nesse momento

Vinha dizer adeus, mas nesse olhar
Vi tanta solidão, tantos abraços
Tantas amendoeiras ao luar
Que me escondi, chorando nos teus braços

Vinha dizer que já não estou contigo
Que este amor singular já não é nosso
Vinha dizer adeus, mas já não digo
Vinha dizer adeus, mas já não posso!

Rosa Lobato de Faria

Setembro 18, 2023

imsilva

f6600077034f664f9e645d75f2d01345.jpg

O livro da vida...

Cada página escrita pelo destino, ou pelo esforço de quem com mais ou menos sacrifício, escreve com esmero o seu percurso.

Cada capítulo descreve os ciclos a que somos sujeitos desde que nascemos.

E tantos ciclos, tantos capítulos numa vida...

Se assim pensarmos, conseguimos aceitar melhor tudo o que se vai passando com, ou sem o nosso consentimento.

Está escrito, faz parte de aquele livro, é só mais um capítulo de tantos.

Ninguém sabe o tamanho da obra, mas todos esperamos que seja considerável, que tenha muitas histórias, boas de preferência, com a lombada com o nosso nome bem visível, para não haver confusões. 

É confortável pensar numa grande biblioteca, cheia de registo de vidas. Risos, lágrimas, sentimentos, de tudo um pouco como bem sabemos.

Ninguém vai ficar anónimo, todos iremos lá estar. E quem sabe, assim, talvez valha a pena ter vivido.

Setembro 15, 2023

imsilva

Gosto de olhar para o céu, e admirar os vários tons de azul nos dias de sol, ou ver as nuvens brancas e fofas a passear.

Gosto de nuvens escuras a ameaçar chuva, mas não gosto do céu cinzento plúmbeo, que parece nos sufocar.

Gosto de ouvir trovoadas, não gosto quando estão em cima de nós.

Gosto do sol de Inverno, e como não, do pôr-do-sol!

20210714_213148.jpg

Em vez de uma, são mais três. Estou a gostar destas confissões, quem sabe se ainda há mais...

Setembro 08, 2023

imsilva

20230908_094104.jpg

Gosto de papel e esferográfica,  e desenhar letras, palavras e frases que traduzam os meus sentimentos.

20230908_094145.jpg

Gosto de olhar para a lombada de um livro que adorei ler, e saber que está ali.

Gosto da antecipação da leitura de um livro ainda não lido.

20230908_095725.jpg

Gosto de pôr as minhas mãos à volta de uma caneca de café quentinho.

20230908_101241.jpg

Gosto do Inverno, de lareira e de mantas.

Hoje são quatro fotografias, elucidativas sobre os meus gostos. Mas, são só as primeiras, mais haverá...

 

Setembro 06, 2023

imsilva

20211014_100115.jpg

 

POEMA DA PAZ

“O dia mais belo: hoje
A coisa mais fácil: errar
O maior obstáculo: o medo
O maior erro: abandonar
A raiz de todos os males: o egoísmo
A distração mais bela: O trabalho
A pior derrota: o desânimo
Os melhores professores: as crianças
A primeira necessidade: comunicar-se
O que traz felicidade: ser útil aos demais
O pior defeito: o mau humor
A pessoa mais perigosa: a mentirosa
O pior sentimento: o rancor
O presente mais belo: o perdão,
O mais imprescindível: o lar
A rota mais rápida: o caminho certo
A sensação mais agradável: a paz interior
A maior proteção efetiva: o sorriso
O maior remédio: o otimismo
A maior satisfação: o dever cumprido
A força mais potente do mundo; a fé
As pessoas mais necessárias: os pais
A coisa mais bela de todas: O AMOR!”

Madre Teresa de Calcutá

Setembro 01, 2023

imsilva

20230831_170709.jpg

                                                  Recado deixado pelo meu neto Martim, 9 anos, há uns meses no frigorifíco

Parece um mantra usado por qualquer adulto que dá conselhos a outros adultos em livros de auto-ajuda. Mas é de uma criança, que mesmo não sabendo como vai ser a vida, com alegria nos deixa estas palavras.

Se a vida fosse tão singela como os pensamentos e desejos das crianças, seriamos todos tão mais felizes.

O que eu não daria para este conselho ter validade vitalícia, para ser fácil segui-lo e não tropeçar no caminho.

O Martim ainda não sabe, e gostaria que nunca viesse a sabê-lo, que muitas vezes vai querer desistir, que muitas portas se vão fechar. Mas, se apesar disso, ele insistir e avançar sempre sem medo das quedas, vai chegar lá, e com orgulho ganhará o prazer e o gosto de ser livre, o orgulho de estar onde escolheu estar.

É fantástico o que as crianças nos ensinam, o que já esquecemos há tanto tempo...e que a esperança está sempre à espreita.

 

Livro dos contos de natal do Blog

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Livro dos contos de natal 2 do Blog

Em destaque no SAPO Blogs
pub