Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

20.12.19

desafio de escrita dos pássaros #15

Rudolfo também não nasceu para isto.


imsilva

0362300db320c687f676aaa72255be29.jpg

Esta é a 15º entrevista que faço para tentar encontrar um substituto do Pai Natal. Diz estar cansado das artrites e do frio, e que quer passar a reforma ao sol da Flórida. Mas, não está fácil, a uns faltam uns kilos, a outros a farta barba, e outros são alérgicos aos animais. Mas, não me chame eu, Rudolfo a rena, se não despachar isto com o que vem a seguir.

"Este tem a aparência perfeita, cabelos brancos como a neve, barba fantástica, peso, vejamos..." foram os meus primeiros pensamentos ao ver o candidato. 

-Então, diga-me por favor, o seu nome?

-Felício da Conceição Natalino.

-Que conveniente. E a sua idade, se não se importa?

-Farei 69 anos no dia 25 de Dezembro.

- Perfeito, peço desculpa pela indiscrição, mas, o seu peso?

-A semana passada tinha 116 kg.

-Alguma doença impeditiva de andar de trenó todos estes kms numa só noite?

-Há aqui um ligeiro incómodo num joelho, mas como o trabalho será feito maioritariamente sentado e as entregas feitas com pozinhos de perlim-pim-pim, creio que não será impeditivo.

-E diga-me, alguma animosidade com animais e com crianças?

-Desde que não se lembrem de se aliviar nas minhas botas ou chorar no meu colo, não será problemático.

-Sim senhor, faria o obséquio de gargalhar para poder perceber o alcance da sua voz e o som produzido?

-Ho,ho, ho

-Muito bem, bastante satisfatório- e tomava notas de todas as respostas do Sr. Felício, para poder debate-las com o chefe- Só mais uma pergunta e creio que poderemos dar por terminada a entrevista. Tem mulher em casa que se possa ressentir com a sua ausência na noite de 24?

- Não tem qualquer problema, estive todo o ano a romper meias, para que nessa noite ela possa estar ocupada a cose-las.

 - E agora, desculpe-me por favor, vou-me ausentar por uns momentos, alguém lhe trará um cafezinho.

-Se pudesse ser com cheirinho, agradecia.

Fui ao gabinete ao lado, transmitir ao patrão a entrevista, e depois de debatidas ideias e opiniões, voltei à sala onde o Sr. Felício esperava. 

- Muito bem, chegámos à conclusão que o Sr. preenche os requisitos certos e aqui está a remuneração que acreditamos ser a indicada.

E passei-lhe uma folha de papel com um nº escrito. Este depois de o ver, levanta-se de rompante, até a cadeira caiu para trás, declara alto e bom som - Isto é um ultraje, por essa quantia prefiro continuar no fundo de desemprego! E sai esbaforido porta fora.

Com as mãos na cabeça, só pensei, "eu bem avisei o patrão"

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.