Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

23.11.22

O que vai no meu pensamento

52 semanas de 2022 / 47


imsilva

122d1205ae5e70d13741605617ceb03f.jpg

 

Não sei se haverá espaço para tudo o que me vai no pensamento.

O ano de 2022 tem sido profícuo em pensamentos ( qual não é?). Têm sido meses turbulentos e preocupantes, onde os pensamentos têm estado com os mais velhos. A morte da minha mãe e os cuidados com o meu pai têm sido os seus protagonistas.

A nossa vida anda, tropeça, embrulha-se e desembrulha-se por dá cá aquela palha, e o nosso cérebro não descansa, não tira férias, os pensamentos atropelam-se e discutem como se não houvesse amanhã. E nós vamos pensando como digerir e dirigir os mil e um assuntos que se nos deparam diariamente.

Mas...felizmente, por vezes aparecem coisinhas boas, que nos dão alento e confiança para andarmos para a frente, onde os pensamentos são dos melhores, fofinhos e muito agradáveis.  Agora ficaram a querer saber quais são, e eu vou dizer, mas não hoje. Quem sabe sexta-feira já consigo desvendar a coisa? 

 

Participação no desafio da Ana de Deus

09.11.22

Altos e baixos

52 semanas de 2022 / 45


imsilva

IMG-20221014-WA0012.jpg

 

Com altos e baixos se desenha o mundo

Com altos e baixos aprendemos a viver

Com os altos, sorrimos e sentimo-nos bem. Pensamos que tudo vale a pena, e que vamos lá ficar, em posição privilegiada. 

Com os baixos, sofremos, choramos e rogamos pragas. Pensamos que nada vale a pena, e que não conseguiremos dar a volta.

Tudo mentira!

Os que estão em cima caem, e os que estão em baixo levantam-se. 

Lei de vida, que felizmente acontece, para ninguém se ficar a rir de ninguém. Nem sempre é tão linear, mas, as hipóteses são muitas. Só temos de saber descobrir os altos e lutar por eles. Saber gerir os baixos e não deixar que vençam, seja em que situação for. Podem ser situações emocionais, económicas, ou as piores que são as de saúde. O importante é aprender a seguir em frente, valorizando os altos e respeitando os baixos. 

 

Participação no desafio da Ana de Deus

13.07.22

O que alguém disse sobre mim que nunca esqueci

52 semanas de 2022 / tema 28


imsilva

2b365e32f270d1cfb8af1f5f36473ddd.jpg

 

Curiosamente, há várias coisas que me ficaram na memória na altura em que estudava num colégio de freiras.

Tenho 1,72 de altura, mas habituei-me a andar sempre direita, graças a algo que uma das freiras do colégio uma vez disse; "Temos de andar sempre com a cabeça levantada, com as costas direitas. É assim que se enfrenta a vida quando não fizemos mal a ninguém "

Eu era muito magra, um palito, e quando me fui despedir da Madre Mercedes por virmos para Portugal de vez, sabendo que vinha para um sítio de praia, a Madre aconselhou-me a usar um fato de banho de mangas compridas. Claro que o disse a brincar, mas hoje não acho que tivesse sido muito bonito.

Uma outra freira, não me lembro qual, ralhou-me quando chamei a atenção para uma colega que não tinha recebido o enunciado que a Madre estava a distribuir. Levei um raspanete porque, segundo ela, não tinha que me meter nisso. A colega é que deveria ter reivindicado, não eu. Com o tempo fui-me controlando, mas ainda hoje sou um pouco assim, chamo a tenção para algo que pode não ter sido visto por outros. Por vezes faço um esforço para não me meter, desenrasquem-se!

Retratos, pedaços de vida numa época em que somos uma amostra de gente que absorve o que nos rodeia, em que damos os primeiros passos em sociedade, em que aprendemos que existem muitas cabeças pensantes e nós começamos a ser uma delas.

Os desafios da abelha

 

23.03.22

Pessoas de quem tenho saudades

12° tema de 52 semanasde 2022


imsilva

2237.jpg

 

 

 

 

Esta manhã, não sei bem porquê, lembrei-me de uma pessoa que não vejo há alguns anos, e de repente vi-me rodeada de lembranças de outras tantas, que depois de terem cruzado o meu caminho, por um motivo ou por outro deixei de ver. Algumas, infelizmente nunca mais verei, mas outras, porque simplesmente a vida levou-as por outro caminho e não deixaram como contactá-las. É um belo conjunto de pessoas das mais variadas idades e gêneros.

Esta pessoa que me levou a estes pensamentos, não era perfeita (como ninguém é) mas era interessante e inteligente, e foi alguém que eu gostei de conhecer, e durante os anos em que privamos, tivemos conversas interessantes, não que concordassemos em tudo (e ainda bem) mas aportou-me conhecimentos e bons momentos de convivio.

Infelizmente, como já referi, a vida dá voltas que nem a inteligência consegue controlar e neste momento não sei nada dela, nem encontro quem saiba.

E pronto, isto levou-me ao velho sentimento português, à saudade, saudade de tanta gente com que me cruzei, gente que me orgulho de ter conhecido, gente que me fez bem, gente de quem eu gostei ( que continuo a gostar) e que espero tenham gostado também de mim. Obrigado por terem existido.

Beijinhos meus amigos.

                                   ❤

 

 

Este texto foi escrito e publicado há uns anos, e achei que fazia todo o sentido neste desafio. Portanto esta é a minha participação no desafio da Ana de Deus

16.03.22

Uma montanha, uma cabana e eu...

11º tema de 52 semanas de 2022


imsilva

 

865516a891b04eab06f3ffb2e1140753.jpg

 

Uma montanha, 

uma montanha alta, 

uma montanha alta e verde,

uma montanha alta, verde e com uma cabana,

uma cabana com grandes almofadões,

uma cabana com mantas fofinhas,

uma cabana com pilhas de livros,

e eu...

 

Participação no desafio da Ana de Deus 

09.03.22

O meu estilo???

10º tema de 52 semanas de 2022


imsilva

f94862e57e9b76807d67d11bc638ea36.jpg

 

Estilo!

A roupa, os gostos, o feitio?

Sinto-me a simplicidade em figura de gente. Vestimenta confortável, nem sonhem com saltos altos, com o tempo criei o hábito de um creme na cara, mas a maquilhagem não quer nada comigo nem eu quero nada com ela. Posso confessar que gosto imenso de um batonzinho, mas como não costuma durar, falta a paciência. O cabelo sofre do mesmo, branco porque é a cor dele, que fazer? 

Pragmatismo a montes, não enrolem, vão direitos ao assunto se faz favor.

Adoro uma bonita paisagem, e o cheiro a natureza, seja mar ou campo. A montra de uma ourivesaria pouco me diz, a não ser que tenha relógios. Privilegio uma noite com um livro a uma noitada com gente a beber copos, o que não quer dizer que não aprecie um jantar com amigos e subsequente serão com uma boa conversa. 

Será suficiente estilo?

Participação no desafio da Ana de Deus

02.03.22

Capitães da areia

9º tema de 52 semanas de 2022


imsilva

20220302_084814.jpg

Neste desafio da Ana de Deus é pedido que falemos de um livro favorito. 

E pergunto eu, alguém tem "1" livro favorito?

Eu poderia falar de uns cem no mínimo. Mas já que tenho de escolher um, escolho "Capitães da areia". Lido por 1º vez na adolescência, e relido mais tarde, foi um abrir de horizontes na altura. Um grupo de miudos a viver ao abandono nas ruas da cidade de Salvador. No areal e no trapiche abandonado vivem, sobrevivem, amam e aprendem a ser homens-meninos no comando de uma tropa à margem da sociedade. 

Uma bela, dramática e lírica historia escrita pelo grande Jorge Amado.

23.02.22

Amizades do coração

8º tema de 52 semanas de 2022


imsilva

0670f7177d682e2cbf9895b6cc52d083.jpg

 

Amizades de coração

Clarinha era muito amiga da Aninhas, de coração. 

Quando Aninhas começou a aceitar os convites para sair do Francisco, por quem a Clarinha estava perdidamente apaixonada, o coração partiu-se, e lá foi a amizade à vida.

Lembram-se com certeza destas amizades, destas inconstâncias da idade, destas injustiças que assistiam tantos jovens.

Hoje, com o passar dos anos, percebemos melhor o que são amizades do coração. Acredito que ainda existam casos destes, mesmo em idades mais avançadas, mas não quero falar dessas, quero falar das que eu sinto, com a minha idade, com a minha percepção, do alto dos direitos que eu própria criei na minha vida.

Podem ser altos, baixos, gordos, magros, ricos, pobres, mulheres, homens, podem ser recentes ou muito antigos, mas se são meus amigos, estão no meu coração.

Posso não lhes ligar no Natal, ou no seu aniversário, e vice-versa, podem morar longe ou perto, mas eu sei que quando os encontrar vou sorrir-lhes com vontade, com carinho e com verdade, e que vamos dar-nos um grande e apertado abraço.

Não me interessam os seus defeitos, tenho amigos que nunca na vida casaria com eles, mas adoro-os na mesma. Respeito-os pelo que são, pelo que foram, e se um dia ficarem em maus lençóis eu vou estar lá, com a mão estendida para o que necessitarem. Como digo, a maioria não vejo há muito tempo, mas podem ter a certeza que isso não interessa nada, porque são os meus amigos de coração. 

 

Participação no desafio da Ana de Deus