Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

O divórcio

1 Foto, 1 Texto

Abril 12, 2024

imsilva

20240412_105720.jpg

Hoje li algures que a morte dos avós é o divórcio da família.

E se pensarmos bem, é o que acontece em muitas. Os avós são o elo de ligação, o pilar que une pessoas diferentes com maneiras de pensar dispares, e que tentam tapar essas diferenças por amor aos patriarcas. Na minha família, também existem pessoas diferentes, e não sei como será o futuro quando já não tivermos o pilar que ficou a segurar-nos. 

A partir do momento em que a nossa própria família cresce, quando aparecem os netos e passamos a ser mais que muitos, deixamos de sentir falta dos que nos acompanhavam na infância. Ou então é o meu egoísmo que assim fala, o meu individualismo que se sobrepõe a confusões e obrigações para as quais me falta a paciência.

Não podem pedir mais sinceridade e honestidade do que esta. Fico a pensar se deveria ter escrito isto...

Esta fotografia tem patriarca, filhos, netos e bisnetos. Foi a comemoração dos 87 anos da matriarca que já não estava entre nós. Foi com muito amor e carinho que nos reunimos nesse dia, mas será assim no depois de...? 

Fevereiro 14, 2024

imsilva

db0eba11b6d2cafa4f5939b87b13d0c0.jpg

 

"Todos os dias são bons
para a gente namorar,
trocando flores e piropos,
ou apenas um poema
que depois havemos de lembrar.
E o que o poema diz
pode ter a cadência leve
de uma lembrança feliz,
ainda que fugaz e breve.
Este é o dia em que bate
mais depressa o coração,
já que o namoro é o espaço
onde habita a emoção
de quem quer ficar mais perto
de um amor forte e liberto."

José Jorge Letria, Dia dos Namorados.In: O Livro dos Dias

Fevereiro 02, 2024

imsilva

21521328_oU8Gz.jpeg.jpg

Este é o último texto do desafio dos cinquentas (2019) que republico. A viagem a que me referia no fim, aconteceu em Abril de 2022. Continuo a adorar as rugas de minha mãe.

                    

Rugas de minha mãe, que contais?

Pecados, sofrimentos e dores?

Prazeres, alegrias e amores?

Ruas tortas

Avenidas direitas

Becos de sol

Praças de chuva

Cruzamentos de dúvidas

Mas, muitos caminhos percorridos

Muitas pedras calcadas

E o descanso ali, na linha do horizonte,

a prometer uma outra viagem.

                  

89 anos de vida

1 Foto, 1 Texto

Janeiro 26, 2024

imsilva

20240125_173201.jpg

A vida aconteceu, os anos vão passando, não sem marcas, sorrisos e lágrimas como as que ontem caíram na tua face. Foram de felicidade e de saudade, eu sei. Ter os teus a mimarem-te e saberes que podes contar com eles, é o que dá. Mas, de que outra maneira poderia ser? Não há outra maneira, ou por outra, haver há, mas nós não estamos interessados nela.

Como diz a tua neta, "o meu avô não tem redes sociais, mas tem mais seguidores reais do que muitos influencers", e amigos, e uma família grande, e muito amor à sua volta.

Vamos dar mais uma volta ao sol? Este ano foram completados 89 anos, agora vamos aos 90, e com calma seguirão outros números. Por muito que refiles ao dizer que já não fazes nada por aqui, que só dás trabalho, nós sabemos que vais lutar por continuar. Nós, vamos cá estar para apoiar-te, ralhar-te quando dizes parvoíces que não gostamos (quando dizes parvoíces giras e nos pões a rir, não faz mal), e amar-te todos os dias.

Ontem foi uma celebração pequenina, fomos dez, domingo vai ser uma celebração grande, onde todos iremos cantar novamente os parabéns, e onde vais deitar mais umas lágrimas, eu sei. 

Parabéns pai! 

A procura do amor

1 Foto, 1 Texto

Dezembro 01, 2023

imsilva

20231201_100734.jpg

 

Era um caminho íngreme, sempre na iminência de escorregar na folhagem que o cobria, dava passos cuidadosos e pensados sem saber se chegaria ao final, seja ele qual for.

Procurava um sítio, um lugar onde poderia encontrar alguém que há muito fizera parte da sua vida, e que hoje fazia questão de olhar nos olhos.

Não entendia alguns seres humanos, podiam ter uma vida com o essencial, alguma companhia e carinho, mas rejeitavam para viver isolados e sem o mínimo de condições. Isso lhe tinham dito sobre quem ele procurava, diziam também que tinha perdido o pouco juízo que tinha. Ele queria ver e entender.

Chegando ao fim do tortuoso caminho, entrou numa ruela e viu o que já estava à espera. Naquele labirinto de ruínas, calmamente, deu passos cautelosos com o instinto alerta e o coração aos saltos. 

Viu despojos por aqui e por ali, uma camisa enegrecida, um sapato sem utilização possível, um caixote de papelão e, aparentemente, alguns restos de cobertores. 

Avançou para mais um compartimento a céu aberto e com silvas a subirem pelas paredes, e viu-o...

Sem saber reconhecer os sentimentos que nesse momento o assaltavam, simplesmente disse;

 - Pai, estou aqui

 

Outubro 18, 2023

imsilva

FB_IMG_1697620009528.jpg

Eu tenho dois netos de chocolate e, quando estou com eles, mesmo sem olhar para a marca ou para o país de origem do chocolate de que são feitos, sinto-me o guloso mais feliz deste mundo. E não precisam de me perguntar porquê. Basta olharem para os bombons dos seus olhos infinitamente doces e para as barras de chocolate com que me abraçam enquanto me segredam palavras raras que querem sempre dizer muito mais do que eu consigo perceber. Agora só me falta ouvi-los pronunciar a palavra "chocolate"como se a escrevessem no céu estrelado do amor que tenho por eles"

José Jorge Letria. Dois netos de chocolate. In. Histórias de chocolate

Ilustração de Raquel Diaz Reguera

Setembro 27, 2023

imsilva

9eb1245b1c7dbbf50e344ae61b147834.jpg

Levo comigo os dois últimos bilhetes de comboio.
Levo comigo um guardanapo de papel com a minha cara que você desenhou, da minha boca sai um balãozinho com palavras, as palavras dizem coisas engraçadas.
Também levo comigo uma folha de acácia recolhida na rua, uma noite, quando caminhávamos separados pela multidão.
E outra folha, petrificada, branca, com um furinho como uma janela, e a janela estava fechada pela água e eu soprei e vi você e esse foi o dia em que a sorte começou.
Levo comigo o gosto do vinho na boca.
Não levo nem uma única gota de veneno. Levo os beijos de quando você partia (eu nunca estava dormindo, nunca).
E um assombro por tudo isso que nenhuma carta, nenhuma explicação, podem dizer a ninguém o que foi.
EDUARDO GALEANO
In: "Vagamundo"

 

Setembro 20, 2023

imsilva

20221110_121834.jpg

 

VINHA DIZER ADEUS

Vinha dizer adeus, mas reparei
Que na faia do pátio era Setembro
Vinha dizer adeus, mas encontrei
Um livro na cadeira do alpendre

Vinha dizer adeus, mas as maçãs
Estavam no forno a assar e esse cheiro
Fez-me parar na porta das manhãs
A relembrar o nosso amor inteiro

Vinha dizer adeus, mas o teu cão
Veio lamber-me os dedos hesitantes
Vinha dizer adeus, mas vi no chão
A manta, ao pé do lume, como dantes

Vinha dizer adeus, mas senti fome
Ao ver a mesa posta para dois
Dálias e o guardanapo com o meu nome
Sem ter havido antes nem depois

Vinha dizer adeus, mas que surpresa
Apassionata... o último andamento
Como se tu tivesses a certeza
Que eu ia chegar nesse momento

Vinha dizer adeus, mas nesse olhar
Vi tanta solidão, tantos abraços
Tantas amendoeiras ao luar
Que me escondi, chorando nos teus braços

Vinha dizer que já não estou contigo
Que este amor singular já não é nosso
Vinha dizer adeus, mas já não digo
Vinha dizer adeus, mas já não posso!

Rosa Lobato de Faria

Setembro 06, 2023

imsilva

20211014_100115.jpg

 

POEMA DA PAZ

“O dia mais belo: hoje
A coisa mais fácil: errar
O maior obstáculo: o medo
O maior erro: abandonar
A raiz de todos os males: o egoísmo
A distração mais bela: O trabalho
A pior derrota: o desânimo
Os melhores professores: as crianças
A primeira necessidade: comunicar-se
O que traz felicidade: ser útil aos demais
O pior defeito: o mau humor
A pessoa mais perigosa: a mentirosa
O pior sentimento: o rancor
O presente mais belo: o perdão,
O mais imprescindível: o lar
A rota mais rápida: o caminho certo
A sensação mais agradável: a paz interior
A maior proteção efetiva: o sorriso
O maior remédio: o otimismo
A maior satisfação: o dever cumprido
A força mais potente do mundo; a fé
As pessoas mais necessárias: os pais
A coisa mais bela de todas: O AMOR!”

Madre Teresa de Calcutá

Julho 24, 2023

imsilva

FB_IMG_1690188483409.jpg

Por céus e mares eu andei,
Vi um poeta e vi um rei
Na esperança de saber
O que é o amor.

Ninguém sabia me dizer,
Eu já queria até morrer
Quando um velhinho
Com uma flor assim falou:

O amor é o carinho,
É o espinho que não se vê
em cada flor.

É a vida quando chega
Sangrando aberta
em pétalas de amor.

𝙊 𝙑𝙚𝙡𝙝𝙤 𝙚 𝙖 𝙁𝙡𝙤𝙧 - 𝙑𝙞𝙣𝙞𝙘𝙞𝙪𝙨 𝙚 𝙏𝙤𝙦𝙪𝙞𝙣𝙝𝙤

Ilustr. Catherine Razinkova (Ucrânia)

 

Boa semana! 🌞

Livro dos contos de natal do Blog

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Livro dos contos de natal 2 do Blog

Em destaque no SAPO Blogs
pub