Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

89 anos de vida

1 Foto, 1 Texto

Janeiro 26, 2024

imsilva

20240125_173201.jpg

A vida aconteceu, os anos vão passando, não sem marcas, sorrisos e lágrimas como as que ontem caíram na tua face. Foram de felicidade e de saudade, eu sei. Ter os teus a mimarem-te e saberes que podes contar com eles, é o que dá. Mas, de que outra maneira poderia ser? Não há outra maneira, ou por outra, haver há, mas nós não estamos interessados nela.

Como diz a tua neta, "o meu avô não tem redes sociais, mas tem mais seguidores reais do que muitos influencers", e amigos, e uma família grande, e muito amor à sua volta.

Vamos dar mais uma volta ao sol? Este ano foram completados 89 anos, agora vamos aos 90, e com calma seguirão outros números. Por muito que refiles ao dizer que já não fazes nada por aqui, que só dás trabalho, nós sabemos que vais lutar por continuar. Nós, vamos cá estar para apoiar-te, ralhar-te quando dizes parvoíces que não gostamos (quando dizes parvoíces giras e nos pões a rir, não faz mal), e amar-te todos os dias.

Ontem foi uma celebração pequenina, fomos dez, domingo vai ser uma celebração grande, onde todos iremos cantar novamente os parabéns, e onde vais deitar mais umas lágrimas, eu sei. 

Parabéns pai! 

Janeiro 08, 2024

imsilva

a7c1f8f49b181f0458fd13229568b01c.jpg

A 8 de Janeiro de 2019, depois de uma tentativa falhada 6 anos antes, comecei devagar, devagarinho, a escrever num blog chamado "Pessoas e coisas da vida". Foi tão devagarinho, que saia um post por mês. Depois foi-se entranhando e adquirindo ritmo, e hoje é um prazer ver que ainda cá estou, com gosto e vontade de continuar.

5 anos de escrita, de leitura, de convívio saudável com projectos realizados sem saber como. 5 anos dos quais saíram amizades e conhecimentos com pessoais incríveis. 5 anos em que descobri que sou capaz de escrever o que não imaginava, por encomenda, porque o coração manda...

Obrigada a quem me ajudou a estar por aqui, a todos os que me seguem e que gastam o seu tempo a ler as coisas que vou escrevinhando. Obrigada pela companhia na caminhada das letras. Obrigada pelas conversas que nos comentários, é como se estivéssemos sentados na minha sala com uma chávena de chá à frente.

Como alguém que todos conhecemos diz, vamo-nos lendo por aí.  

Abril 07, 2023

imsilva

20230406_154334.jpg

20230406_165310.jpg

Ontem fui assistir a uma tertúlia com estes dois monumentos da nossa cultura.

Nas comemorações dos 80 anos de trabalho de Ruy de Carvalho, temos Retratos contados. 

Vida e Obra deste grande senhor em conversa com uma sua grande amiga, Alice Vieira, que nos faz desejar ser assim quando formos grandes.

Raciocínio, memória, sentido de humor, projecção de voz e vontade de continuar a trabalhar, foi o que nos transmitiu a todos os que encheram aquele auditório.

Parabéns pelos 96 anos de vida, sabemos que não poderão ser muitos mais, porém, esperamos que sejam com a qualidade demonstrada nesta maravilhosa conversa.

Março 17, 2023

imsilva

20230310_174740.jpg

Foi numa segunda-feira que foi internada. Na terça disseram-lhe, amanhã. Na quarta, às 8 horas, levaram-na numa maca e ela deixou-se ir, estava nas suas mãos. Era a pessoa que mais importava naquele processo, mas os outros é que mandavam, e ela humildemente acatava as ordens e em silêncio obedecia.

Até que, decidiu contrariar. Queriam dar-lhe a anestesia epídural e ela queria que a pusessem a dormir. Eles insistiam, e ela teimosamente exigia anestesia geral. No fim, foi ela que venceu, e dormiu...

De longe ouviu qualquer coisa, alguém a chamava, e quando ouviu - olhe quem está aqui - fez um tremendo esforço para abrir os olhos, e antes de os deixar cair novamente, ainda teve tempo de ver o seu marido. Foi quando ouviu - está tudo bem, tem uma menina muito bonita -.

E enquanto se sentia em viagem numa maca de hospital, ainda de olhos fechados, ainda a planar algures, a sua alma, o seu coração, o seu ser, sorriam.

Março 01, 2023

imsilva

20220921_211328.jpg

 

Permanentemente à procura de nós

Permanentemente em busca de algo

Algo que grite, que chore, que abrace, que ame

Algo que brilhe no escuro e que roce os sentidos

Algo que nos traga cores bonitas à alma, 

Permanentemente à espera da vida

De uma vida que faça sentido

De uma luz que alumie, e mostre o caminho

De uma essência de alfazema ou de alecrim

De um som que desperte a alvorada

Permanentemente à espera de mim

 

Alguém completa 35 anos de permanente busca. (e não estaremos todos?)

 

 

 

Janeiro 25, 2023

imsilva

89c0b13fc39bf92ca03f95ee37154977.jpg

Quando o avô lembra e conta...

Dos sete irmãos, sendo eu o rapaz mais velho no meio de 5 raparigas ( o mais novo também era um rapaz), o meu pai apertava mais comigo.

Aos 10 anos parti uma janela com uma pedra quando andava na brincadeira, tirou-me da escola e pôs-me a trabalhar para a pagar. Estava na quarta classe e não pude concluí-la. Acabei por fazê-lo em adulto, já depois de casado.

Pouco mais tarde, ajudava na serventia das obras, magro como eu era e com uma hérnia que só foi operada em adulto, carregava baldes de areia da praia para as obras.

O meu pai, que era pedreiro, parecia não se importar, parecia não ligar nenhuma aos filhos. Saía do trabalho e ficava na conversa na taberna, a beber copos de três com os amigos. Quando chegava a casa ficávamos calados que nem ratos com medo dele. Não nos batia, mas tinhamos-lhe um respeito tremendo. O carinho não se via em lado algum, não fosse a minha mãe a tratar disso, não saberiamos o que era.

Mas, quando fui à inspeção para ir à tropa, à chegada passei pela taberna onde ele costumava estar (por ficar a caminho de casa), e ele ao ver-me passar perguntou-me - Então? - e eu respondi-lhe que tinha ficado livre. Vi-lhe o brilho dos olhos ao dizer - Ainda bem!. Saiu da taberna e fez o caminho para casa comigo. Eu não estava habituado a andar ao lado dele. Ao fundo vimos a minha mãe à janela e ele gritou-lhe ao longe - O teu menino ficou livre!

Foi o momento de carinho que tive do meu pai. A alegria e satisfação que demostrou por não haver o perigo de eu ir para alguma guerra.

 

Este jovem, hoje, celebra os seus 88 anos.

Agosto 23, 2021

imsilva

20201022_114423.jpg

Vida

Tudo dentro de quatro letras apenas

com sonoridade, agradável, com luz, com esperança

com o nascer e o morrer como protagonistas

Tudo é vida

o que gostas, o que não gostas

a que tens, a que gostarias de ter

o teu, o meu suspiro

a tua, a minha gargalhada

as vossas, as nossas lágrimas

As cores do arco-iris reflectidas por todo o lado

A mãe Natureza no comando a dar o seu melhor

e por vezes, o ser humano a dar o seu pior

Tudo isto é...  vida

 

Está é a minha participação no desafio "vida" da Célia do blog "raios de sol". Passem por lá e leiam os textos dos outros participantes, vale a pena.

Amarelo

Vamos pintar com palavras ? # 9

Março 17, 2021

imsilva

20190506_124102.jpg

 

Aniversário

Abriu os olhos e percebeu a claridade que entrava no quarto, olhando para a janela viu um pedaço de céu muito azul, e ficou contente por ter um belo dia de sol no dia do seu aniversário.

Espreguiçou-se com vontade e sentiu a gata ao seu lado a fazer o mesmo. Agarrou-a e deu-lhe os miminhos habituais como o maior carinho do mundo, nunca tinha imaginado apaixonar-se assim por um animal, mas aconteceu e hoje sentia-a como a sua melhor companhia.

Pensou no alinhamento do dia, tinha combinado almoçar com os pais e os avós, e vendo os ponteiros do relógio da sua mesa de cabeceira, decidiu sair da cama e tomar um demorado banho se imersão. Quando voltou para o quarto, escolheu o que iria vestir, não sem pensar que a sua mãe tinha razão quando implicava com o seu guarda roupa que só tinha peças super prácticas, e onde segundo ela, faltavam as peças que qualquer jovem adulta com alguma vaidade gostaria de vestir. De repente lembrou-se de um vestido amarelo com pequenas florzinha brancas, que a sua mãe um dia a tinha convencido a comprar, e que ela até tinha gostado acabando por adquirir. Procurou-o no canto do armário e vestindo-o, olhou para o espelho da parede que lhe dava uma imagem dos pés à cabeça, e gostou do que viu. Ficando decidido que seria aquela a sua fatiota para aquele dia, desceu para tomar o pequeno almoço e encontrou na pequena mesa da cozinha um envelope acompanhado pelo mais lindo ramo de túlipas que já vira. O namorado tinha saído muito cedo de casa, mas antes tinha-lhe preparado este pequeno mimo. Leu a mensagem que ele lhe deixara com um sorriso na cara, e pegando no belo ramo para o pôr em água, pensou na sorte que tinha, um namorado que adorava e uma família com que se sentia realmente feliz.

Depois de tomar o pequeno almoço, arrumou a cozinha a pensar que apesar de tudo o que se passava no mundo, ela estava bem, os seus estavam bem, e fazendo mais uma festa à gata, deu mais uma vista de olhos às suas flores, apreciando o amarelo das suas bonitas pétalas e saiu de casa, sentindo que este seria um bom dia.

 

Hoje a minha filha faz anos, e inspirou-me para este texto que mistura muito pouca ficção e muito de realidade.

Parabéns Maria. Sê feliz, porque tu mereces. ❤

 

Texto no âmbito do Desafio caixa de lapis de cor

21997264_iyKrZ.png

 

 

Janeiro 25, 2021

imsilva

Ontem, a minha irmã recebeu o resultado de um teste, e foi positivo. Não está grávida, tem COVID19. Está bem, alguns sintomas ligeiros.

Ontem, saí de casa e fui votar. Votei sempre e nunca apanhei tanta gente a fazê-lo. Não entendo o porquê, porque a votação dentro das salas foi feita com rapidez, mas as filas eram enormes.

Ontem fui a casa dos meus pais, não ia há duas semanas, mas fui com os devidos cuidados, e através do telemóvel fiz vídeo chamadas para verem que a filha mais velha estava bem, e para se poderem despedir do neto (pelo telemóvel) que hoje foi para fora.

Ontem fiz o serão da praxe em noite de eleições, ouvi os discursos dos candidatos na televisão e sem grandes surpresas, para além das que já se esperavam...fiquei na mesma.

Hoje, despedi-me do meu filho que foi novamente para fora.

Hoje, preparo-me para juntamente com toda a família, cantarmos os parabéns ao meu pai à distância. Alguém irá com um tablet para nos ligar-mos todos e assim podermos por primeira vez, não estarmos presentes, mas celebrarmos de alguma maneira mais um ano.

Hoje, vou continuar em confinamento, em casa, com a ansiedade a espreitar e eu a fazer que não percebo.

Amanhã, vamos juntar a família num al moço que durará até à noite, e acabará com a canja da avó, antes de irmos para casa.  Riremos e faremos a confusão inerente à ocasião, como sempre.

Amanhã, juntar-me-ei com os meus amigos, darei beijos e abraços sem máscaras nem medos, sem empecilhos, só com amor e amizade.

Tal como ontem e hoje, amanhã nascerá o sol, e com uma esperança teimosa, espero que seja para todos.

a2d9eda3cd6b2344ade04774d3e4425c.jpg

Ontem, hoje e amanhã, sinto-me pendurada...

Novembro 04, 2020

imsilva

20201104_092432.jpg

 

Há 7 anos, deitamo-nos as 5 horas da manhã. Sabes porquê? Ficamos no corredor do hospital à espera de ver a tua carinha.

E quando passaste nos braços da tua mãe, deitados ambos numa cama andante, por aquele corredor, uma nova luz surgiu nas nossas vidas.

Foi a continuidade a acontecer

Foi a vida a renovar

Foi o coração a alvoroçar

Para o resto das nossas vidas

Meu menino dos olhos grandes

Livro dos contos de natal do Blog

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Livro dos contos de natal 2 do Blog

Em destaque no SAPO Blogs
pub