Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

27.08.21

Um pedaço da minha vida


imsilva

20201230_080939.jpg

 

Quando o pensamento se esvai, e o cansaço impera

Quando a mente se nega a funcionar

A esperança faz a sua  aparição e nos canta uma canção de embalar.

Os dias estão magníficos!

Limpos e luminosos.  

É o Agosto a despedir-se, o verão a acabar.

Desde sempre que o Verão para mim foi sinónimo de trabalho. Desde os meus 13 anos que a época balnear foi de trabalho. Estudava de inverno, e trabalhava no Verão. 

Já casada e com 3 filhos, o meu marido trabalhava na restauração e eu numa loja, com dias diferentes de folga, quando chegava o mês de Maio era uma neura que me entrava e que eu não entendia. Depois percebi que era a época em que o meu marido passava a estar mais tempo fora de casa, em que os nossos horários se desencontravam completamente e isso mexia com o meu sistema nervoso.

Os meus últimos 2 anos de trabalho na loja, foram anos de crises de ansiedade e ataques de pânico. Foram 2 anos de ansiolíticos que foram resolvidos quando mudei de trabalho e passei a trabalhar com o meu marido.

Com os miúdos já crescidos e com a ajuda da minha mãe, essa mudança foi possível. Se assim não fosse, creio que o casamento não teria sobrevivido, cheguei a dizer ao meu marido " em Maio sais de casa e voltas em Outubro" Coitado, sofreu comigo, não fui fácil de aturar nessa altura.

Hoje pensei em sentar-me a escrever alguma coisa (tinha saudades) e saiu isto. Um desabafo da vida, uma vida como tantas outras com altos e baixos e contratempos que se vão resolvendo melhor ou pior, conforme as hipóteses que nos aparecem à frente.

Talvez, resumindo, não se pode desistir. Temos de ir à procura das soluções e mesmo parecendo que não estão lá, acreditar que é possível, que as vamos encontrar e seguir o caminho.

O Verão está a acabar, e eu vou voltar a uma vida mais normal, com tempo para escrever, ler, ver os meus netos mais vezes, passear e gozar de tempos livres.

Sejam felizes, assim ou assado, encontrem o caminho para lá, porque o sol nasce todos os dias!

15.06.21

As palavras...da minha filha.


imsilva

1bd8982ca2a58aed3437e172f25dd238.jpg

 

Hoje sinto-me triste. Porque a vida também tem disto.

E partilho este sentimento porque sei que sou só mais uma dentro deste tormento.

Ontem, pela primeira vez, saí de palco.

A ansiedade é real.
Cada vez mais real.
Os mais fracos (fortes) pedem ajuda e os mais fortes (fracos) vivem na premissa de que "eu consigo".
Ás vezes tentamos falar com alguém, mas recolhemo-nos por sentirmos que não somos entendidos.

Vivemos inúmeros momentos em que sentimos que atrás de nós está um leão, ou que temos um maluco ao nosso lado a apontar uma pistola direitinha ao nosso crânio. E o nosso coração trabalha a fundo com tudo o que tem. E de que estamos nós a fugir?
Quando explicamos isto, acham que é um grande exagero e que queremos atenção.
Exigimos de nós mesmos cada vez mais, não permitimos que nos vejam como falhados. Deixamos de desfrutar o momento, os momentos, muitos.

Vivo com isto há 10 anos, tenho ataques de ansiedade porque começo a pensar que posso vir a ter um ataque de ansiedade... 🤔 Lupo, feedback, estupidez. Podemos chamar-lhe o que quisermos. Mas é real.

A história bonita é que consegui voltar a entrar em palco, porque tenho gente bonita à minha volta.

O que podemos fazer uns pelos outros? Mais amor? Mais atenção? Mais tempo.

23.03.20

Ainda a poesia


imsilva

20200323_114619.jpg

Isto é do nosso vizinho sapiano Folhas de Luar. Abri o livro ao acaso e é isto...

Creio que se integra no sentimento geral, no meu pelo menos. Depois de uma semana péssima, tive um fim de semana em que pensei que estava a adaptar-me à situação (se é que é possível). Mas não, creio que foi a passagem da preocupação para a ansiedade instalada. Vou ter que lidar coma situação o melhor que puder. Vai tudo ficar bem. 🌈