Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

01.06.21

Dia Mundial da criança


imsilva

       

cc2b445cbf93195b893b2f629c5f1cf6.jpg

 

             O Mundo dos contos de fadas

Era uma vez uma menina que encontrou um livro mágico. Era dourado e tinha um cadeado.

A caminho de casa, lembrou-se que tinha uma chave que talvez servisse. 

Estava escrito no livro  "País dos contos de fadas" Uau - disse a menina.

Ela abriu e entrou no livro, e quando entrou, viu uns três porquinhos a brincar às escondidas, uma menina com um capuz vermelho e sete cabritinhos escondidos. Era tudo maluco!

A menina falou com todos e perguntou como sair dali, e um dos cabritinhos disse que tinha de ir falar com o feiticeiro de Oz. Foi pelos tijolos amarelos, e depois a Doroty encontrou pelo caminho um rei que lhe disse que o caminho era para a direita. Ela assim fez e quando chegou ao castelo perguntou ao guarda que lhe respondeu  -  A menina tem um livro dourado com um cadeado? Sim - disse ela. -  É simples, era só abrir o livro e tirares as páginas, menos a que tu abriste. - respondeu-lhe o guarda.

Ela assim fez, e viu que não era verdade. Era um sonho.  Fim.

Martim Barreiro, 7 anos.

 

O Martim este fim de semana perguntou-me se eu queria que ele escrevesse para o meu blog, eu respondi-lhe que claro que queria. A folha ficou em cima da mesa, e eu há pouco, quando pensei que não tinha nada para publicar sobre o dia da criança, os olhos bateram na folha escrita por ele. O rapaz vem poucas vezes mas, quando vem dá frutos. Nada melhor que uma história escrita por uma criança, para celebrar este dia.

 

18.05.21

Um gatinho para o Tão


imsilva

20210518_092711.jpg

Para um menino de olhar malandro, de coração doce e super-herói do meu coração, no seu 5° aniversário ❤

 

Era uma vez um gatinho que tinha perdido o sono. A mãe do gatinho foi procurar o sono do gatinho para naquela noite o gatinho fazer ó ó...
A mãe gatinha foi à floresta perguntar pelo soninho do gatinho mas os animais estavam todos a dormir e não a puderam ajudar.
No dia seguinte, a mãe gatinha foi à escola procurar o soninho do gatinho, mas todos os meninos estavam a aprender e não a puderam ajudar.
A mãe gatinha fez as malas e foi a um país muito distante procurar o soninho do gatinho, mas nesse país os gatinhos estavam sempre acordados...
A mãe gatinha regressou e foi a um poço muito fundo. Espreitou. O poço era muito escuro. Será que o soninho do gatinho estava lá no fundo, também ele a fazer ó ó no escuro? Talvez não. O soninho tem medo de poços.
A mãe gatinha regressou a casa e disse ao gatinho que não tinha encontrado o seu soninho.
O gatinho disse:
- Mãe, o meu soninho está contigo. Não é preciso procurares. Se me deres um abraço, consigo dormir...
Então mãe gatinha e gatinho abraçaram-se e logo apareceu o soninho numa estrela que olhava para eles na janela do quarto...

Gilda Nunes Barata, O gatinho que perdeu o sono.

16.04.21

O Colar


imsilva

20210415_153941.jpg

 

O colar de pérolas

Olhou para a caixa de veludo azul que se encontrava em cima da mesa, e as recordações assaltaram-na.

Recordou o dia em que o marido lha tinha oferecido, o dia em que tinha chegado a casa com a filha ao colo, acabadas de chegar da maternidade.

Recordou as várias ocasiões felizes em que o tinha usado. Festas de aniversário, de Natal, no casamento dos filhos e sempre que lhe apetecia sentir a maciez e a frescura das suas pedras. 

Tinha sido uma vida feliz, tal como essas ocasiões. Não se podia queixar. Talvez só do facto de ter ficado sozinha cedo demais, sem poder usufruir do amor do seu companheiro até ao fim da sua vida, ele tinha partido primeiro.

Sentindo o aconchego que todas essas memórias lhe tinham trazido, levantou-se e vestindo o seu bonito casaco branco de caxemira, pegou na caixa de veludo azul e saiu de casa.

Conduzindo o seu pequeno e fiel automóvel, dirigiu-se a casa da filha. Quando entrou, foi recebida pela euforia e movimentação que lá reinava, o que não era de estranhar, já que o dia assim o exigia.

As netas vieram ao seu encontro e deram-lhe um rápido beijo e correram escadas acima.

Um serviço de catering preparava as mesas com acepipes e aperitivos para todos os gostos, destinados aos convidados que em breve chegariam.

Quando encontrou a filha, esta recebeu-a com um abraço e juntas subiram as escadas até ao quarto de Leonor, a sua neta mais velha.

Ao chegarem lá, os olhos da avó vidraram-se e ficou sem palavras. Leonor estava belíssima com o seu vestido branco de renda, que na sua simplicidade, brilhava mais que qualquer vestido de princesa.

Avó e neta abraçaram-se já com as lágrimas a cair, e a senhora mais velha abriu a sua mala e retirou de lá a caixa de veludo azul. Abrindo-a, tirou o colar de pérolas que a tinha acompanhado grande parte da sua vida, e colocou-o à volta do pescoço da neta. - É para ti meu amor. Que vivas com ele momentos tão felizes como eu vivi.

Leonor virou-se para o espelho, e delicadamente tocou naquelas pérolas que tantas vezes vira no pescoço da avó.

E através do espelho, trocou olhares com aquela pessoa que sempre tinha tido ao seu lado, a apoiá-la em tantos momentos durante a sua curta vida, e não foram precisas palavras.

11.05.19

A mantinha da avó


imsilva

20190510_172709.jpg

A minha mãe está com problemas de mobilidade, portanto não pode andar o que costumava andar, e tem que estar sentada mais tempo do que é habitual. Pedi-lhe ajuda para fazer umas camisolas para as minhas filhas em Dezembro, e vai fazendo outras coisas, mas não chega, tinha que a interessar por mais alguma coisa, "UMA MANTA". As netas já disseram "também queremos" e assim já há trabalho para mais uns tempos!

21.06.13

Descendência


imsilva

7ecf1629515f7cbf656b6d9508d3f0a3.jpg

 

A minha filha linda vai ser mãe! O que faz com que eu vá ser avó!

E como é que o tempo passou tão depressa? Como é que as minhas crias já vão ter as suas própias crias?

A vida é realmente fantástica. Eu tive bebés e esses bebés cresceram, e agora são jovens adultos a começar um novo ciclo, a darem ao mundo uma nova geração, que vai fazer de mim avó. E sinto-me assustada, com uma enorme expectativa pelos sentimentos que aí veem a rebolar e a assaltar os meus sentidos.

Creio que as emoções de ser avó, passam um pouco pelas emoções de se ser mãe. Não sabemos muito bem como vão ser, até a criança ter nascido, até a vermos ali tão pequenina e maravilhosa, a gritar e a berrar que é nossa, que quer carinho, protecção e todo o amor a que tem direito. E aí sim, a nossa vida leva com uma mudança, nada vai ser igual, vai existir mais alguém que faz parte de nós, que não estava lá antes, vamos ser mais um à mesa de Natal, e o nosso universo fica maior, mais completo, mais rico, mais barulhento, e a felicidade estica mais um 

bocadinho sempre que isso acontece.

Tenho uma Mãe que foi sempre uma superavó, todos os netos (8) passaram pelos seus cuidados durante bastante tempo, e ela nunca esperou que fosse de outra maneira. Fez parte integrante da sua vida, como se tivesse nascido propositadamente para isso. Gostaria de ser algo parecido na vida dos meus netos, mas os tempos são outros e neste momento não existe a opção de ser avó a tempo inteiro. Mas atenção, não abdico de todo o tempo que puder, nem que tenha que o inventar, e pelos meus cálculos vou ter que inventar mesmo.

Resumindo e concluindo, sabem uma coisa? Vou ser Avó!!! e como se costuma dizer: venha com saúde e perfeitinho!

Darei noticias.