Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

Da minha janela...

1 Foto, 1 Texto

Outubro 20, 2023

imsilva

20200406_142235.jpg

Da minha janela... vejo o mundo, o meu mundo

Vejo um céu que tanto pode ser azul, como cinzento, como branco igualzinho a algodão

Vejo vida, casas, pessoas, carros, bicicletas e animais de estimação. Uma menina sai de casa com o seu cão, começa a chover, e ela regressa a casa a correr com o animal no seu encalço.

Vejo árvores, plantas, arbustos, jardins e muitas flores no meu quintal.

Também vejo e ouço pássaros e passarinhos, não conheço os seus nomes mas, reconheço-lhes os pios e os trinados, ah sim, também assisto às voltas e reviravoltas que os pombos fazem antes de regressar ao pombal do vizinho.

Mas, no fundo o que vemos das nossas janelas, é o que quisermos ver, porque seja aquilo que for, vai ser feio ou bonito, mau ou bom, conforme o estado de espírito de quem estiver a ver.

Da minha janela, posso ver um sol radioso, que dá ainda mais cor à paisagem, ou posso ver água a cair do céu em gotas, em muitas gotas, como hoje, e posso ver as árvores num bailado louco sem saírem do lugar, e deixando cair desamparadas folhas e pétalas de flores.

E uma coisa ou outra, poderão ser apreciadas em diversas ocasiões e com diversas emoções.

Eu gosto de ver através da minha janela.

 

Este texto é a reedição de um desafio, 1 Foto 1 história, que aconteceu há um tempo atrás. Achei que seria oportuno mostrá-lo novamente. Poderia tê-lo escrito hoje.

 

Outubro 13, 2022

imsilva

20221011_141346.jpg

 

Um dia, com uma pena gentilmente cedida por alguma ave, gostaria de escrever com tinta mágica nestas bonitas folhas, deixar impressões e ideias, emoções e registos de vida.

Depois, com elas faria um livro, para folhear com delicadeza, com carinho, para que as palavras não deslizassem para o vazio, as folhas não sofressem danos, o que para mim seria sacrilégio, porque um escritor não quer as palvaras, as letras, maltratadas mas sim  preservadas.

Um dia, gostaria de escrever até me cansar, e quando já não houvesse folhas por preencher, escreveria nas nuvens que ao passar, levariam as minhas palavras para longe.

Um dia... 

Livro dos contos de natal do Blog

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Livro dos contos de natal 2 do Blog

Em destaque no SAPO Blogs
pub