Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

Abril 24, 2024

imsilva

2897bc41fca12388b27b625ce9de50f2.jpg

Escrever

Vontade de escrever, obrigação de escrever, necessidade de escrever, talvez escrever, seja suficiente e quem gosta de escrever vai-me entender.

Há algo na preparação da escrita, encontrar o espaço, escolher a maneira de o fazer, seja em papel ou em teclas, que nos faz antecipar o prazer do resultado, a expectativa da harmonia de palavras e frases que nos prolongam, nos complementam, traduzem desejos, ideias, que dão azo à imaginação que guardamos cientemente e que no texto podemos lançar ao mundo.

Não é preciso ter o talento de um escritor, só precisamos de vontade e gosto em juntar as letras do abecedário e exprimirmos gostos, sensações, ideias mais ou menos arrumadas e depois sabermos que um pouco de nós ali ficou.

Se a ideia não é publicar um livro, isto será suficiente para aumentarmos um pouco a nossa felicidade. 

Março 21, 2024

imsilva

f6600077034f664f9e645d75f2d01345.jpg

 

PARA ESCREVER O POEMA

O poeta quer escrever sobre um pássaro:
e o pássaro foge-lhe do verso.
O poeta quer escrever sobre a maçã:
e a maçã cai-lhe do ramo onde a pousou.
O poeta quer escrever sobre uma flor:
e a flor murcha no jarro da estrofe.
Então, o poeta faz uma gaiola de palavras
para o pássaro não fugir.
Então, o poeta chama pela serpente
para que ela convença Eva a morder a maçã.
Então, o poeta põe água na estrofe
para que a flor não murche.
Mas um pássaro não canta
quando o fecham na gaiola.
A serpente não sai da terra
porque Eva tem medo de serpentes.
E a água que devia manter viva a flor
escorre por entre os versos.
E quando o poeta pousou a caneta,
o pássaro começou a voar,
Eva correu por entre as macieiras
e todas as flores nasceram da terra.
O poeta voltou a pegar na caneta,
escreveu o que tinha visto,
e o poema ficou feito.

Nuno Júdice

Ela não me deixa...

1 Foto, 1 Texto

Outubro 27, 2023

imsilva

20231020_124522.jpg

Finalmente um bode expiatório!

A fada da inspiração tem-me deixado um bocadinho (é favor) abandonada. Não me faz caso, diz-me que os pozinhos de perlimpimpim estão esgotados, que é a crise e tal, e o que é que eu posso fazer? Para ajudar tenho umas gatas em casa (ressaltar que não são minhas, são da minha filha) que me dificultam ainda mais a vida. Como podem ver, quando finalmente me decido a ver se escrevo alguma coisinha, vem a amiga Angie e posiciona-se à grande e à francesa, inclusive com a sua bela patinha encima do teclado. Eu bem tentei explicar-lhe que precisava de todas as teclas para escrever, tirando-lhe a bela da patinha de cima, mas ela simplesmente, a olhar para mim, punha-a outra vez no que considerava o seu poiso. Agora sinto que me entendem, a culpa não é minha, é da crise e é da gata que não quer que eu me canse muito a escrever, mas sim a fazer-lhe festas. Podem não acreditar, mas neste momento tenho o teclado cheio de pelos porque ela está a pedir festas e a encostar-se às minhas mãos!!! Tenho que vos deixar, outras prioridades (fazer festas a uma gata) se impõem! 

 

Outubro 13, 2022

imsilva

20221011_141346.jpg

 

Um dia, com uma pena gentilmente cedida por alguma ave, gostaria de escrever com tinta mágica nestas bonitas folhas, deixar impressões e ideias, emoções e registos de vida.

Depois, com elas faria um livro, para folhear com delicadeza, com carinho, para que as palavras não deslizassem para o vazio, as folhas não sofressem danos, o que para mim seria sacrilégio, porque um escritor não quer as palvaras, as letras, maltratadas mas sim  preservadas.

Um dia, gostaria de escrever até me cansar, e quando já não houvesse folhas por preencher, escreveria nas nuvens que ao passar, levariam as minhas palavras para longe.

Um dia... 

Sentimentos na escrita

52 semanas de 2022 / tema 27

Julho 08, 2022

imsilva

f5af503d06eb4b0fdbfb1724ac2667ef.jpg

 

Quando escrevo sinto que estou a ter uma conversa comigo, sinto-me livre de expressar as minhas opiniões e sentimentos sem interrupções. Não há mais ninguém a dar palpites e a dizer de sua justiça, o que adoro.

É o meu momento, é o encontro entre o eu e o mim, entre as palavras e os pensamentos, entre a minha lógica, as minhas fantasias e a minha liberdade.

É o meu momento zen, em que uma página em branco a ser preenchida  a pouco e pouco por caracteres que expressam a minha mente, me liberta e relaxa, e até a ansiedade de perceber se o que escrevo faz sentido, faz parte do prazer que é escrever, simplesmente...escrever.

 

Os desafios da abelha

 

Dezembro 01, 2021

imsilva

20211128_175039.jpg

Preparados???

Já sabem, é só pegar numa caneta, num lápis, esferográfica, pedaço de carvão, teclado, o que quiserem e escrever um conto de Natal.

Resultou muito bem (vejam como) nestes 2 últimos anos, e espero que resulte também neste.

Puxem pela imaginação, quem tiver crianças em casa pode pedir-lhes ajuda, e não há desculpas para não escreverem um continho de Natal. Eu sei que são capazes!

Publiquem de preferência antes do Natal, à hora que vos apetecer, com quantas palavras quiserem, e ponham o meu link para que eu os possa juntar em mais uma bela colectânea. 

Fico à espera! Coragem! 😉✍🎅🤶

Fevereiro 26, 2021

imsilva

09bf578b3dbf1f79c4eada9056ae2568.jpg

Nunca eu tinha imaginado que este mundo dos desafios fosse tão rico.

Infelizmente não tem euros, mas tem gente, muito boa gente que se esmiufra para fazer jus aos desafios que lhes são apresentados. E todos entram ao barulho, os que propõem e os que são propostos, porque afinal os uns, são os outros também.

Criei este blog porque tinha umas folhas com pequenos textos escritos, e pensei em partilhá-los com quem  (supostamente) também gostaria de escrever. E foi um mundo que se abriu. Comecei a interagir com pessoas, que não conhecendo fisicamente, de alguma maneira sabia quem eram, só com palavras.

Entretanto a  Green eyes fez 51 anos, e eu pensei em pôr o pessoal a dizer o que eram os 50s. E surgiu o  Desafio aos cinquenta , o 1º desafio criado por mim. Foi magnífico, apareceram textos fantásticos, e aprendi muito.

Depois apareceram uns pássaros que decidiram dar-nos cabo da cabeça, e sem saber como, vi-me envolvida num desafio semanal que durou umas quantas semanas e que ainda teria uma 2º edição. Nunca pensei que seria capaz de escrever "por encomenda", mas os textos saiam quase sem dar por isso, e eu adorei o que escrevi, surpreendi-me a mim mesma, e mais uma vez aprendi imenso.

No Natal de 2019 lembrei-me de pedir Contos de Natal , e em 2020 fiz o mesmo. Escusado será dizer que temos uma bela colecção de contos, e que talvez haja surpresas em relação a isso.

Também houve um passa-palavra da Mula e da Mel que correu muito bem.

Agora, estamos todos embrulhados num belo desafio da Fátima Bento ,nuns quantos da nossa abelhinha mestra e a Cristina Aveiro também se aventurou num que me parece muito bem. 

Também tivemos e ainda temos uns desafios diferentes, mas igualmente interessantes. Um era do C.C que deixou o blogue sem aviso, e de quem tenho saudades, era "Uma foto...Uma história". Do mesmo gênero temos "A Paz de..." da Ana de Deus, a nossa abelhinha, e da MJP "A liberdade de..." em que nos presenteiam com belos textos de terceiros.

Provavelmente houve mais algum, mas neste momento, lamento, mas não me estou a recordar, se foi o caso desculpem-me.

Tudo isto para dizer que tem sido muito bom fazer parte deste mundo de desafios, de pessoas que se esforçam por cumprir os prazos previstos, de descobertas de textos maravilhosos de pessoas que não sendo escritores profissionais, (bem, alguns mereciam sê-lo, e outros há, já com provas dadas e trabalho publicado), são na maioria  escritores de coração, e aqui estão a comungar com o gosto e o prazer da escrita, e eu sinto-me muito orgulhosa por isso.

Pessoal, encontramo-nos no próximo desafio, e, como diz um nosso amigo que também por estes caminhos anda,               a gente lê-se por aí.

 

 

Livro dos contos de natal do Blog

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Livro dos contos de natal 2 do Blog

Em destaque no SAPO Blogs
pub