Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

23.12.20

Que sejam Boas as Festas!


imsilva

20201216_225416.jpg

Que haja um bocadinho de amor, de conforto e de alegria em todas as casas, em todos os corações 

20201220_094433.jpg

Que haja esperança e optimismo para o novo ano que aí vem. 

Que seja o ano das soluções, da volta à normalidade.

20201217_222431.jpg

Que seja o ano do regresso dos afectos físicos, dos abraços, dos beijinhos, das mãos apertadas e tocadas sem receios.

20201217_195042.jpg

 

                    Feliz Natal, sejam felizes!

  

09.12.20

O meu conto de Natal


imsilva

06666de4b7d5336d90b12741a5f2ac60.jpg

Esta é a minha participação no meu próprio  Desafio

 

Um pinheirinho feliz

 

Era pequenino, raquítico e com pouca folhagem.

Estava sózinho, nem sabia como tinha ido lá parar, os outros pinheiros estavam mais afastados.

Era pequenino e sonhava em ser maior e brilhar numa sala qualquer, de uma daquelas casas que se viam ao longe. Não sabia de onde lhe vinha aquela ideia, mas sabia que era uma ideia fixa.

Entretanto, numa daquelas casas que se viam ao longe, uma família pensava nas decorações de Natal daquele ano.

  -  Pai, quando vamos buscar a árvore de Natal?  -  perguntou o Pedro

  -  Depois do almoço podemos ir dar um passeio e ver se encontramos alguma que nos agrade  -  respondeu o pai

  -  Mas pai, não podemos cortar pinheiros assim sem mais nem menos  -  disse Andreia, a irmã mais velha do Pedro.

  -  É verdade, por isso vamos ali ao terreno do Sr. Eduardo que ofereceu para quem quiser poder escolher um pinheiro, porque precisa de limpar aquela terra para uma construção que precisa de levantar.

  -  Que bom!  -  responderam em uníssono o Pedro e a Andreia.

Depois de um bem disposto almoço, e da louça estar toda arrumada, a família vestiu casacos, cachecóis, gorros e dirigiram-se ao terreno do Sr. Eduardo.

Havia realmente umas quantas árvores, umas grandes, outras enormes que nem caberiam lá em casa, e todos procuraram aquela que seria a ideal.

Entretanto o Pedro que se tinha afastado um pouco, chamou-os muito entusiasmado.

  -  Pai, mãe, Andreia, venham cá!

Quando a família chegou ao pé dele, viram um pinheirinho e um entusiasmado Pedro de olhos brilhantes, a olhar para ele.

  -  Pai, não é lindo?

O pai e a mãe olharam um para o outro, depois para a pequena árvore e responderam que talvez fosse pequeno demais, já para não falar do feio que era sem quase folhagem alguma, mas isso não disseram em voz alta.

A Andreia deu uma volta ao pinheiro, franziu o nariz e olhou para o irmão.

  -  Ó Pedro, não achas que está um bocadinho despido demais? Onde vamos pendurar todos os nossos enfeites numa árvore assim?

  -  Não precisamos de pôr todos os enfeites, podemos pôr só os preferidos, aqueles mais importantes.  -  respondeu o petiz quase com lágrimas nos olhos  -  Por favor, vamos levar este...

Não entendendo o porquê, mas vendo o sentimento posto no pedido do Pedro, não houve coragem para o negar, e acabaram por levar o pinheirinho para casa.

Já colocada no canto da sala, a pobre árvore quase não ocupava espaço algum. Depois de colocarem um único jogo de luzes, o Pedro escolheu os enfeites que gostava mais, como por exemplo o urso e o esquilo brancos que a avó lhes tinha oferecido num ano, o duende verde que lhes tinha dado noutro, ou a fotografia de família numa pequena moldura que penduravam todos o anos.

O resultado ficou um pouco aquém do que era habitual, mas a felicidade do rapaz era tão grande que ninguém disse coisa alguma.

Quando se foram deitar o sorriso de Pedro dizia tudo.

No dia seguinte quando a família acordou, à medida que passavam à porta da sala, iam ficando especados à porta a olhar lá para dentro. 

Quando o Pedro, que foi o último a acordar os viu, ficou curioso com o que estaria a acontecer, e furando entre o pai e a mãe olhou lá para dentro e não acreditou no que via.

O pinheirinho estava lindíssimo, recheado de belos ramos com belas folhas pontiagudas verdíssimas.

Foi um mistério que ficou para a história daquela família, mas eu posso vos contar que aquilo não foi mais que a felicidade do pinheirinho ao ver realizado o seu desejo de brilhar numa sala qualquer, de uma daquelas casas que se viam ao longe.

26.06.20

Tenham um bom dia!


imsilva

20200603_095932.jpg

Quem disse que a vida era só andar?

Quem disse que a vida era só respirar?

A vida é um remoinho, é uma dança do vira, e para alguns o salve-se quem puder.

Nascemos tão inocentes, tão alegres e risonhos, mesmo quando choramos nessa altura, é só para fazer charme.

E quando caímos e esfolamos os joelhos, já devíamos de ficar desconfiados de que nem tudo é fácil e bonito.

Quando os primeiros amores nos viram as costas, deveríamos de ter desconfiado logo que o amor nem sempre é um conto de fadas.

Quando começamos a pagar as nossas contas, e a responsabilizar-mo-nos pela nossa roupa suja, ninguém nos avisa que isso é só o começo.

Depois... é seguir viajem com uma bagagem bem apetrechada de pensos rápidos e betadine, e uns comprimidos para a dor de cabeça, talvez também alguns para a ansiedade e outros estados emocionais que vão surgindo pelo caminho.

Nos intervalos vamos vendo e apreciando a paisagem, uns raios de sol que nos acariciam a pele, ou o cheiro a terra molhada quando caem as primeiras chuvas.

E vamos sorrindo porque apesar de tudo, conseguimos ser optimistas, e achamos que não está mau, por vezes até achamos graça e esperamos sempre melhorias porque a esperança está sempre à espreita, a dar alento e música para continuarmos.

E quando estamos bem, e olhamos para os nossos, quando estamos no nosso cantinho, no nosso conforto com aquela mantinha que tão bem tapa as arrelias e as preocupações do dia, sentimos que valeu a pena, que é bom estar ali, porque os bons momentos pesam mais e conseguem ser superiores aos maus. Por vezes fazemos por pensar assim...

Tenham um bom dia, olhem para o lado bom da vida e sejam felizes.

14.05.20

Desafio dos pássaros (penúltimo)

Mais oito.


imsilva

20190830_194747.jpg

 

No âmbito do desfio dos pássaros, que deram o mote de "Mais oito", não resisti a fazer esta lista, que é uma espécie de receita para que a nossa vida possa ser melhor;

8 expressões de amor

8 sorrisos de felicidade

8 maravilhosos sonhos

8 palavras de esperança

8 actos de compaixão

8 momentos de serenidade

8 belas imagens

8 verdadeiros amigos

Vamos ser felizes, vamos ser melhores, vamos ser boas pessoas. 

 

02.04.20

Fácil? não!


imsilva

 

64ec0d207a16b308f0fcef28e1840555.jpg

 

Ontem, no face, vi um texto de Marta Gautier . Numa época normal, aplaudiria e concordaria porque eu própria gosto muito de estar em casa. Só que não vivemos tempos normais, e quem está em casa não é por vontade própria, mas sim por imposição exterior. Para além disso, também não é uma estadia isenta de preocupações, grandes preocupações, porque não estamos a viver dos rendimentos, descansadinhas, porque as finanças estão asseguradas, (pelo menos aqui em casa). Não, tudo o que faziamos para termos o sustento assegurado, foi-se! E não sabemos quando poderemos recomeçar. Ou seja, pagar aos funcionários, pagar rendas (plural), vai continuar a acontecer, mesmo sem saber como. 

Eu também estou muito bem em casa, tenho livros, papel e lápis suficientes para ser feliz. Mas para além disso também tenho (grandes) preocupações, que não me deixam usufruir dessa felicidade, aparentemente tão fácil.