Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

22.10.21

Mais de Fernando Pessoa


imsilva

FB_IMG_1618321486837.jpg

Loura e face que esfria
Cose, dobrada, à janela.
Se eu fosse outro pararia
E falaria com ela.

Mas seja o tempo ou o acaso
Seja a sorte interior,
Olho mas não faço caso
Ou não faz caso o amor.

Mas não me sai da memória
A janela e ela, e eu
Que se fora outro na história
Mas o outro nunca nasceu...

 

Fernando Pessoa

In Poesia 1931-1935 

Imagem: Momentary Glance by Morgan Weistling

25.05.21

Estrelar o céu


imsilva

FB_IMG_1615625379995.jpg

 

- Por que razão sais todas as noites com esse banco tão alto?
- Tenho de estrelar o céu.
- Estrelar o céu?
- Sim. De cada vez que alguém desiste de um sonho, cai uma estrela do céu. De cada vez que alguém desiste de alguém, cai uma estrela do céu. De cada vez que alguém desiste de si, cai uma estrela do céu. De cada vez que alguém tranca o sorriso ou fecha a esperança, de cada vez que alguém perde as chaves do coração, de cada vez que alguém recusa agarrar a mão de quem lha estendeu, cai uma estrela do céu. Eu apanho-as uma a uma, com muito cuidado para não as magoar – uma estrela caída no chão sente o céu a desabar – e volto a pô-las onde estavam antes de a manhã chegar.
- E como fazes para as segurar?
- Digo-lhes que uma estrela só cai para se poder levantar.

Elisabete Bárbara
Lado a lado

29.03.21

Hoje é dia... 29 de Março


imsilva

8e2236b93f72f7cef02e54e942fa57a1.jpg

 

Hoje é dia

Hoje é dia de sol e de chuva

Hoje é dia de sorrisos e lágrimas

Hoje é dia de calor e de frio

Hoje é dia , mais um dia

numa torrente de dias

 e há um vendaval a caminho com a força da vontade e uma nesga de carinho

e a brisa toca ao de leve com laivos de desculpas

e troveja no cinza e ouro

e o sol dardeja com fúria e desejo

porque hoje é dia

de flores e abraços 

porque podia ser outro dia

numa torrente de dias

mas não

porque hoje... é o dia 

16.03.21

Retrato de mulher triste


imsilva

 

e604f3ee2d26c2cbcb900efd382e7c13.jpg

 

RETRATO DE MULHER TRISTE

"Vestiu-se para um baile que não há.
Sentou-se com suas últimas jóias.
E olha para o lado, imóvel.

Está vendo os salões que se acabaram,
embala-se em valsas que não dançou,
levemente sorri para um homem.
O homem que não existiu.

Se alguém lhe disser que sonha,
levantará com desdém o arco das sobrancelhas,
Pois jamais se viveu com tanta plenitude.

Mas para falar de sua vida
tem de abaixar as quase infantis pestanas,
e esperar que se apaguem duas infinitas lágrimas."

Cecília Meireles, in "Poemas (1942-1959)"

12.03.21

Irei.


imsilva

 

c3f7862a8df52880f43349949ac29fbb.jpg

 

Irei

À deriva do tempo, à deriva da estrada

À deriva de um qualquer ponto cardeal que me chama

A um sítio que não conheça

Vou comigo, e tão bem acompanhada vou

Sem explicações

Sem justificações

Onde não tenho nome

Onde não tenho passado

Onde os meus passos soarão no eco do tempo

Onde o sonho se acalenta e urge

Com coragem e ímpeto

Com as certezas possíveis dentro da incerteza

Com a vontade de ser algo num ponto qualquer

Qualquer ponto que me faça ser

11.03.21

Respira - Palvras de Vanessa Januário


imsilva

FB_IMG_1613683474187.jpg

 

Respira

O tempo não tem tempo.
Não se filtra nem se importa. Podes pedir-lhe para ficar, mas ele explode em cores, em sentimentos e caminhos e corre...corre sem nunca voltar.
Não chores pelo tempo.
Ele da-te definição, constrói-te o rosto e faz-te crescer o corpo. Preenche-te as rugas com sabedoria, os braços com oportunidades e o peito com sensações.
Conta pelos dedos os segundos... pára e volta a contar. Sim...o tempo passou. E não peças ao tempo para que altere o seu passo. Ele não corre nem repousa. Mantém o seu ritmo sentido. O que muda não é o sentido do tempo, mas a forma como cada um o sente. Se o tempo te der asas voa, se o tempo te der carinho abraça, se o tempo te der oportunidade, olha a tua volta e valoriza as pessoas que estão a teu lado...nesse momento não estás a perder tempo, estás a assistir a mais bela metamorfose dos sentimentos. Quando não tiveres tempo para respirar, percebes que o tempo é finito apenas na infinidade daquilo que és capaz de sentir...o amor.

" A vida não tem tempo e o tempo nunca terá prazo... respira, vive"
Vanessa Januário#letrasdepapel

14.02.21

As palavras de amor de Mário Soares em dia de S. Valentim


imsilva

9cbdf15c0acd3e39df1060ac106fcf81.jpg

 

Para ti
Meu amor
Levanto a voz
No silêncio
Desta solidão em que me encontro
Sei que gostas de ouvir
A minha voz
Feita de palavras ternas e doces
Que invento para ti
Nos momentos calmos
Em que estamos sós
Sei que me ouves
Agora…
… uma vez mais
Apesar da distância
E do silêncio
Opera esse milagre
Simples
Como tudo o que é natural.

 

Poema de amor, escrito por MÁRIO SOARES a MARIA BARROSO, em 1962, quando se encontrava detido na prisão do Aljube.

 

04.02.21

Pessoa a e a chuva


imsilva

Screenshot_20210203-183947_Facebook.jpg

 

Chove

Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva
Não faz ruído senão com sossego.
Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva
Do que não sabe, o sentimento é cego.
Chove. Meu ser (quem sou) renego...

Tão calma é a chuva que se solta no ar
(Nem parece de nuvens) que parece
Que não é chuva, mas um sussurrar
Que de si mesmo, ao sussurrar, se esquece.
Chove. Nada apetece...

Não paira vento, não há céu que eu sinta.
Chove longínqua e indistintamente,
Como uma coisa certa que nos minta,
Como um grande desejo que nos mente.
Chove. Nada em mim sente...

Fernando Pessoa

03.12.20

As palavras de Joaquim Pessoa


imsilva

20201022_114434.jpg

 

POEMA VIGÉSIMO SÉTIMO

A vida. Com que palavras a dizes ou
a negas? Com que palavras te entregas?
Nasceste do ovo azul da linguagem,
essa que te beijou a pele e beijará teus olhos.

A tua voz é a voz das palavras. Mas já foi
a voz dos frutos e do chão. Das espigas
e das rosas. A que um dia poisou na fala
e se derrama agora na solidão da página.

A vida continua a torturar-te com palavras
acendendo fogueiras, encenando novos
autos de fé, finos rastos de fria dignidade.

É feito de pedacinhos de sílabas o teu rosto.
São restos de poemas, dor que ainda sorri
à luz que acena dentro dos abraços.

JOAQUIM PESSOA, in GUARDAR O FOGO