Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

17.12.19

Mimos e desânimos.


imsilva

20191217_175944.jpg

Estão a ver esta lareira? É minha, e vou hibernar ao pé dela, vou ver filmes (foxlife) cheios de luzinhas, neve, fitas  bolas e muito romance, até enjoar. Vou abstrair-me (se conseguir) de problemas, probleminhas, quezílias e afins que vieram todos juntos sem serem convidados, e dos quais estou farta, cansada e quase, quase a desesperar. Desejem-me um bom serão, sim?... Obrigada e igualmente. 

16.09.19

Restos mortais de um tema que já não o é.


imsilva

Problemas, só problemas

Quem não os tem? Mas…

Alguém os chamou?

Alguém os pediu?

Alguém os desejou?

Não, então porque é que teimam em aparecer? Até parecem o arroz doce, está sempre em todo o lado.

Há problemas que se alojam no cérebro, outros na alma, e outros ainda no coração. Depois há aqueles que se alojam no corpo, os problemas físicos. Todos igualmente nascidos para nos atormentar a vida.

E a confusão fica instalada.

Eles podem ser grandes, podem ser pequenos, podem ser complicados ou mais simples, podem ser maus, ou podem ser bons, (há problemas bons? Acho que sim, por vezes só se descobre que são bons mais tarde) Não deixam é de ser problemas.

 

 

coracao.jpg

 

 

04.07.19

Nós no estômago


imsilva

A caminho do trabalho esta manhã, a rádio falava de fundos comunitários e já apanhei a conversa a meio, quem falava era a Filipa Roseta, cabeça de lista do PSD por Lisboa. Dizia ela, que esses dinheiros estavam à disposição, e que era reprovável que não os utilizassem. Claro que haverá mais do que aquilo que aqui estou a expôr, mas onde eu quero chegar, é que já me estava a provocar nós no estômago, não quero saber! ou por outra, quero, mas não quero! 

Ontem o meu filho chamava a atenção para o problema que estava a ser levado pelo PAN à assembleia. Qualquer coisa relacionada com mais uma lei sobre as corridas de galgos. Não quero saber! isso são mais nós. 

Já falei disso no post "Politiquices", e agora volto a bater no ceguinho, (processem-me).

Eu vou para o trabalho, já com 2 ou 3 nós no estômago. Não sei como vai correr o dia, são muitos funcionários, cada um com as suas caracteristicas, tenho alguns elementos corrosivos, que não me perguntem porquê, mas não podem ser dispensados, e nunca sei qual é o dia em que um cliente que não dormiu bem, vai implicar com alguma coisa.

Ora, tudo o que não está sob a minha alçada, eu não quero! não preciso de mais nós, obrigada, os que tenho já são mais que suficientes, porque até já os sinto no cerebro. Só se servir para tirar umas férias forçadas num alto hospital, assim tipo hotel, ou se possível, por favor, num SPA (será que os médicos podem prescrever uns dias de descanso num SPA?). Se não for assim, então, NÂO QUERO!

tenho-refluxo-dra-ana-escobar.jpg