Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

28.03.22

Annus horribilis


imsilva

IMG-20220201-WA0003.jpg

 

Este ano tem sido horrível! Como se os outros já não tivesssem sido assim apelidados...

Desde uma operação à hernia ao meu marido, à visita do vírus COVID à maior parte da família, a uma guerra estúpida a dois passos daqui, ao internamento da minha mãe que esteve sem visitas 2 semanas (agora já tem), à morte de 2 pessoas que de algum modo estão ligadas à nossa vida, têm sido quase 3 meses de angustia e atribulações como não me lembro noutro ano. 

Nos anos COVID, era só com o que nos tinhamos de preocupar, agora são 58 coisas ao mesmo tempo, que me deixam sem saber para onde dirigir o meu olhar.

Posso parecer pobre e mal agradecida mas tenho-me sentido sem chão muitas vezes. A única coisa que queria muito, muito fazer, uma coisinha pequena, pequenina, tão pequenina que ...desapareceu, era sair 3 dias, perder a chaminé de vista, respirar fundo noutros ares, num cantinho qualquer deste Portugal tão bonito e que está à minha espera. Mas, até isso me foi vedado.

A esperança é a última a morrer, e de esperança tenho vivido nestes últimos dias à espera de uma aberturazinha que permita a fuga. Uma singela fuga que não magoa ninguém, até pelo contrário, não me deixem fugir e verão se não vão aparecer por aí coxos e marrecos depois de lhes ter tratado do pelo.

Como se pode chamar horrível a este ano depois de termos passado pelos outros dois? Mas, eu chamo, chamo sim, e com todas as letras, H-O-R-R-Í-V-E-L!

Quantos meses faltam para o fim de 2022???

28.01.22

Esperança, resiliência...e vida


imsilva

20220127_092048.jpg

 

Quando descobri esta florzinha escondida numa planta que parece estar a desfalecer, fiquei a olhar espantada para a sua pequenez e resiliência. Aquela que tantas vezes nos falta.

 Fez-me pensar em nós, seres humanos na luta pelo dito lugar ao sol, empurrados pelos sonhos que criamos na esperança de sermos agraciados.

E no entretanto...

A vida faz-se, ou tenta-se com melhores ou piores resultados, mas vai-se fazendo.

E enquanto acontece, passos são dados, emoções são sentidas, decisões são tomadas.

Alegria e tristeza vão marcando presença, a felicidade vai espreitando num jogo de escondidas, e nós vamos crescendo em direcção a algo não muito claro, mas que nos preparamos para enfrentar com determinação e coragem, como esta florzinha.

 

 

25.05.21

Estrelar o céu


imsilva

FB_IMG_1615625379995.jpg

 

- Por que razão sais todas as noites com esse banco tão alto?
- Tenho de estrelar o céu.
- Estrelar o céu?
- Sim. De cada vez que alguém desiste de um sonho, cai uma estrela do céu. De cada vez que alguém desiste de alguém, cai uma estrela do céu. De cada vez que alguém desiste de si, cai uma estrela do céu. De cada vez que alguém tranca o sorriso ou fecha a esperança, de cada vez que alguém perde as chaves do coração, de cada vez que alguém recusa agarrar a mão de quem lha estendeu, cai uma estrela do céu. Eu apanho-as uma a uma, com muito cuidado para não as magoar – uma estrela caída no chão sente o céu a desabar – e volto a pô-las onde estavam antes de a manhã chegar.
- E como fazes para as segurar?
- Digo-lhes que uma estrela só cai para se poder levantar.

Elisabete Bárbara
Lado a lado