Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

02.07.21

Filosofias de aprendizes da vida.


imsilva

9ce358ab7dc52e813d7a6f7654910747.jpg

 

Quando escrevi  Parar? Como?  foi quando morreu a Maria João Abreu.  Na altura todos diziam que o cansaço que ela tinha , era um sinal de que devia parar, que estava a entrar na exaustão.

Entretanto, a Marta escreveu este maravilhoso post A subida e completou-o quando eu escrevi Quando a vida muda...

Ora, toda a gente sabe que as palavras são como as cerejas, como as opiniões, como os comentários, atrás de uns, vêm outros.

Daí o meu comentário ao texto da Marta se ter transformado em post.

Todos nós trilhamos caminhos, subimos algumas montanhas, com mais ou menos custo, e na maioria das situações com a obrigação as costas. Quantos de nós diremos um dia ; "Tenho que parar, estou esgotado, esta semana não contem comigo a tempo inteiro.?"

Quantos de nós poderemos dizer isso um dia?

Eu fui obrigada a parar, e sinceramente correu bem. Passaram sem mim, alguém se esforçou mais para isso acontecer, mas o certo é que foi possível.

Mas, se eu não tivesse ido parar ao hospital, teria tido a coragem de dizer ; não contém comigo esta semana? Não, não o teria feito, simplesmente porque não sabemos quando estamos a pisar o risco. Porque cansaço e nervos é o pão de cada dia no trabalho que nos dá o ganha pão para vivermos com um mínimo de dignidade.

Se foi o cansaço que me levou a parar? Quem sabe? Provavelmente não...Foi um vírus, dizem eles. Para além de  as teorias da conspiração dizerem que poderá ter sido uma sequela da vacina, tomada 4 dias antes.

De qualquer das maneiras, deveríamos cuidar-nos, deveríamos olhar mais para nós próprios, deveríamos saber que não somos invencíveis, e que mesmo sabendo lutar deveríamos saber parar, inspirar, expirar, e sentirmos o sangue que nos percorre as veias, como um bem precioso que deve de ser cuidado.

Ah! É tão bom escrever baboseiras...O último paragrafo deve de ser de uma novela alienígena, só pode!

Cuidem-se! Mais asssim ou mais assado, mas que seja da melhor maneira possível.  

 

 

11.08.20

Pendurados num sistema roto


imsilva

3c12d15cb92f232a889e32dc728f5587.jpg

Há coisas que mesmo sabendo por outros, só quando nos tocam à porta é que entendemos realmente.

O meu pai não tem andado bem, cansaço e falta de ar. Há duas semanas esteve nas urgências, levou oxigênio, trouxe uma bombinha para casa e patati-patata.

Tem consulta em Pneumologia que entretanto foi adiada e ainda não remarcaram, e está à espera que em Sta. Maria o chamem para fazer exames em Cardiologia há meses.

Médico de família só lá para fim do mês e será por telefone (85 anos, queixas físicas e será "visto" por telefone). E o particular também com demora.  

A provável solução seria enfiá-lo numa ambulância e espetá-lo numas urgências de um hospital...só que não queremos fazer isso, seria mais ou menos como o levar para o matadouro.

E entretanto sentimo-nos de mãos atadas porque não achamos lógico ele continuar assim, sem um apoio médico imediato, que seria no mínimo, o médico de família o observar e dar indicações do que fazer a seguir.

Admiram-se de haver muito mais gente a morrer, sem ser de covid, do que seria suposto. EU NÃO!!!

26.03.19

0,5% MUUUUITO BOM


imsilva

    Não tenho por hábito falar de futebol, não gosto de ouvir milhões, milhões, milhões, nem percebo do jogo. Também não tenho por hábito falar de política, mas.... tive o azar de estar a ver as noticias. O nosso déficit é de 0,5% !!!! Não percebendo nada do assunto, percebo que tanto o campo da saúde como o da educação estão muito atrapalhados, com falta de profissionais que nos tratem da saúde e da educação dos nossos jovens. Ou seja, para ficarmos bem na fotografia, prejudicamos o que é essencial no andamento da vida do nosso povo. Muuuuuito bom!!!