Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

pessoas e coisas da vida

pessoas e coisas da vida

Novembro 01, 2023

imsilva

04a5a3baebf09eaa3d2df8a6e962f1c4.jpg

 

" Não tenho pressa. Pressa de quê?
Não têm pressa o sol e a lua: estão certos.
Ter pressa é crer que a gente passa adiante das pernas,
Ou que, dando um pulo, salta por cima da sombra.
Não; não sei ter pressa.
Se estendo o braço, chego exactamente aonde o meu braço chega -
Nem um centímetro mais longe.
Toco só onde toco, não aonde penso.
Só me posso sentar aonde estou.
E isto faz rir como todas as verdades absolutamente verdadeiras,
Mas o que faz rir a valer é que nós pensamos sempre noutra coisa,
E vivemos vadios da nossa realidade.
E estamos sempre fora dela porque estamos aqui."

Alberto Caeiro. Não tenho pressa. In "Poemas Inconjuntos"


Abril 28, 2023

imsilva

20211006_193327.jpg

 

No último post, deixei um pequeno texto de Osho sobre estar sozinho, e prometi que haveríamos de falar disso, e aqui estou!

Com seis décadas de vida, e sem nunca ter vivido sozinha, os anseios por ficar comigo a sós, são muitos. Diria mais, creio que está a ser uma necessidade premente.

Ficar sozinho é algo tão belo! Ninguém invadindo seu espaço, ninguém o tratando mal. Você em paz para ser você mesmo e deixando que os outros sejam como são.

Estas são as palavras que Osho escreveu e que eu subscrevo de alma e coração. 

Poderão dizer "tira uma semana, vai para algum lado sozinha, ninguém vai morrer por isso" e eu digo, é verdade, é tão simples que até chateia. Mas, por qualquer razão não o é. O que é, é a vida a impor-se, são responsabilidades de várias ordens, são questões morais que nunca deixariam esta cabecinha tranquila a usufruir de calma e paz no coração. As exigências do dia a dia, tanto emocionais como profissionais chamam e não permitiriam sossego e mente em branco.

Gosto de ficar em casa sozinha, mas isso não é mais do que umas horas, poderá ser o dia inteiro, mas não mais. Mas, digo eu, será que conseguiria ficar sozinha durante muito tempo? Não sei, nunca experimentei. Tirando o tempo em hospitais, com o nascimento das crias, e com os 10 dias de internamento com uma encefalite, que não pode contar porque de sossego não tem nada, nunca estive completamente sozinha. Daí ficar a dúvida, não começaria a panicar ao fim de dois dias? Gostava de tirar as dúvidas, e ficar a saber como é, (des)controlar os meus segundos, os meus momentos, tirar o relógio e seguir o meu coração, a minha necessidade.

Hei-de o fazer, não sei quando, provavelmente terão as constelações que se conjugar nos lugares certos e no tempo certo, mas sei que terei de o fazer para bem da minha sanidade mental. 

Deve de haver por aí tanta gente a chamar-me parva, a perguntar-se se estarei bem da cabeça por ter este desejo tão simples e que aparenta tanta dificuldade da minha parte. Mas, como diz o povo, cada um sabe de si, e eu sei que este não é o momento. 

 

Outubro 07, 2022

imsilva

affcaa7b89ad7110cde4a462dcd8f9b6.jpg

 

“Afinal, o que é a idade?
Quando eu era jovem uma pessoa de 50 anos era velha. E era realmente, na sua postura, no seu olhar. Eu tenho 60 e apenas em certos momentos percebo que me pesa a idade. Essa reinvenção da velhice está a suceder e não é tanto pelos cosméticos, pela profusão altamente rentável de produtos antienvelhecimento. É por uma atitude interior, uma vitalidade que se alcança pela capacidade de fazer amigos, de amar e ser amado e de ser dono do sentido de tempo.”

Mia Couto

Desafio "Arte e inspiração" V2 #1

A persistência da memória ou O dia em que o tempo findou

Setembro 14, 2022

imsilva

22353024_HmnEh.jpeg.jpg

Espero e desespero

Espero por tempos que tragam tempo

Tempo para amar

Tempo para viver

E pergunto por onde andará o tempo...

Desespero por esse tempo

Que tarda em chegar

Que não sei se chegará a tempo

De me acalmar

Abri a janela da vida, e nada vi

Acabei por entender

Não havia tempo

Era o dia em que o tempo findou

 

A minha participação nesta reedição do desafio da Fátima Bento 

 

 

 

 

 

Agosto 03, 2022

imsilva

FB_IMG_1658484574405.jpg

A gente podia poder costurar o tempo,
Bordando em cima dos erros
Para que eles sumissem.
Costurar as pessoas
Que gostamos pertinho.
Costurar os domingos,
Um mais perto do outro.
Costurar o amor verdadeiro no peito
De quem a gente ama.
Costurar a verdade
Na boca dos seres.
Costurar a saudade
No fundo de um baú
Para que ela
De lá não fuja.
Costurar a auto estima bem alto,
Pra que nunca ela caia.
Costurar o perdão na alma
E a bondade na mão.
Costurar o bem no bem
E o bem sobre o mal.
Costurar a saúde na enfermidade
E a felicidade em todo lugar ...

(Janaína Cavallin--)

Uma carta para alguém

52 semanas de 2022 - Tema 19

Maio 13, 2022

imsilva

20220513_100422.jpg

Nesta altura da minha vida, só poderia escrever uma carta para um "alguém".

 

Mãe

Escrevo-te esta carta para ver se me esclareces algumas coisas.

Onde andas, que não te vejo há alguns dias? Passei pelo cemitério e estava lá um sítio cheio de coroas de flores com uma placazinha com o teu nome e a tua fotografia, como é que aquilo foi lá parar? Não é só para as pessoas que morreram? Então, não entendo. Ainda fui à procura de algum responsável por isso, mas não encontrei ninguém. Continuei confusa.

Fui às compras e comprei o champô que tu gostas e as maças que pedes sempre, já lá estão em casa, onde o pai está sozinho porque tu te lembraste de ir passear. 

Volta depressa, estamos todos com saudades tuas, os teus netos também perguntam por ti.

Ah! A tua filha mais velha manda-te um teteréré, e um mando-te um beijinho daqueles repenicados como só nós sabemos dar.

 Isabel.

 

Os desafios da abelha

 

                                                                                

Felicidade

7º tema de 52

Fevereiro 16, 2022

imsilva

20220206_120323.jpg

                                                                                                           A primeira camélia

Esta é a 7° semana do desafio da Ana de Deus. O tema desta semana é a "felicidade"  e esta é a minha participação.

 

Felicidade

Perguntou-me o vento; O que te faz feliz?

- As tuas caricias mornas, os aromas do mar que trazes até mim, os aromas das flores que espalhas e nos fazes chegar aos sentidos.

Perguntou-me a terra; O que te faz feliz?

- Sentir que estás aí, que vives, que respiras, que renasces a cada dia.

Perguntou-me o sol; O que te faz feliz?

- A tua luz, quando no frio me aqueces, quando iluminas a vida para que tudo pareça melhor.

Perguntou-me a água; O que te faz feliz?

A tua frescura quando me matas a sede, quando refrescas e ajudas a reiniciar a terra, quando nos lavas o corpo de cansaços e pó.

Perguntou-me o amor; O que te faz feliz?

- Quando te sinto num olhar, num gesto. Quando o abraço acalma o coração e tudo fica bem. Quando pairas na atmosfera, e te sentimos a rondar as emoções.

Perguntou-me o tempo; O que te faz feliz?

Poder abraçar e beijar os meus. Ouvi-los falar das suas coisas, e saber que estão bem. Ficar a levitar com um livro, acompanhada pelos meus pensamentos.Sentir que por mim passas, que estás aí, que ainda estás aí, e que espero ter-te por mais tempo, a ti que és o tempo.

Agosto 20, 2021

imsilva

 

Screenshot_20201229-103320_Facebook.jpg

 

Resta quanto tempo? Não sei. O relógio da vida não tem ponteiros.
Mas é preciso escolher. Porque o tempo foge. Não há tempo para tudo. Não poderei escutar todas as músicas que desejo, não poderei ler todos os livros que desejo, não poderei abraçar todas as pessoas que desejo. É necessário aprender a arte de “abrir mão” – a fim de nos dedicarmos àquilo que é essencial.

(Rubem Alves---)

 

 

 

 

 

Livro dos contos de natal do Blog

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Livro dos contos de natal 2 do Blog

Em destaque no SAPO Blogs
pub